Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Nápoles abre as portas ao barco com 629 migrantes que Governo italiano impediu de atracar

REUTERS

“Se um ministro sem coração deixa morrer no mar mulheres grávidas, crianças, idosos, seres humanos, o porto de Nápoles está pronto a acolhê-los”, escreveu o presidente da Câmara da cidade italiana no Twitter. Depois de Nápoles, também os presidentes das autarquias de Messina e de Palermo se mostraram disponíveis para atracar o barco nas suas cidades

O presidente da Câmara de Nápoles, Luigi De Magistris, disse este domingo que a cidade está pronta para receber o “Aquarius”, o barco da organização não-governamental SOS Mediterrâneo, com 629 migrantes a bordo. A embarcação foi impedida pelo Governo italiano de atracar em Reggio Calabria, no sul de Itália.

“Se um ministro sem coração deixa morrer no mar mulheres grávidas, crianças, idosos, seres humanos, o porto de Nápoles está pronto a acolhê-los. Nós somos humanos, com um coração grande. Nápoles está pronta, sem dinheiro, a salvar vidas humanas”, escreveu no Twitter.

Depois de Magistris, também os presidentes das Câmaras de Messina e de Palermo se mostraram disponíveis para atracar o barco nas suas cidades.

No domingo, o ministro do Interior, Matteo Salvini, enviou uma carta urgente às autoridades maltesas, explicando que o “Aquarius”, com pessoal dos Médicos Sem Fronteiras, se encontra a 43 milhas náuticas de Malta (quase 80 quilómetros), pelo que a obrigação de desembarque dos migrantes não pertence aos italianos.