Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Militar sul-coreano diz que China poderá escoltar voo de Kim para Singapura

KimSujin/Getty Images

No dia 12 de junho Donald Trump e Kim Jong-un vão encontrar-se na ilha de Sentosa, na Singapura. O encontro até esteve em risco, depois de Trump acusar Kim de mudar de atitude após reunião com o presidente chinês

A Coreia do Sul suspeita que a China poderá enviar aviões a jato para escoltar Kim Jong-un na viagem à Singapura para o encontro com Donald Trump. Quem o diz é um oficial sul-coreano a um jornal chinês, conta o "Business Insider".

No dia 12 de junho Donald Trump e Kim Jong-un vão encontrar-se na ilha de Sentosa, na Singapura. O encontro até esteve em risco, depois de Trump acusar Kim de mudar de atitude após encontro com o presidente chinês, Xi Jinping. Se se confirmar a escolta por parte do exército chinês, a Coreia do Sul diz que isso revela um apoio claro. “Escoltar [um chefe de Estado] com jatos é um dos protocolos de segurança mais importantes que a força aérea pode providenciar. (...) Se a China o fizer, pode ser uma mensagem muito forte indicando que apoia firmemente o regime de Kim”, afirmou um militar sul-coreano ao jornal “South China Morning Post”.

Washington exige uma desnuclearização "total, verificável e irreversível" da Coreia do Norte e declarou-se disposto a fornecer garantias de "segurança" ao regime de Pyongyang, que sempre considerou o seu arsenal nuclear uma espécie de seguro de vida. Por seu lado, Kim Jong-un diz querer "avançar para uma desnuclearização da península coreana", mas através de um processo "etapa por etapa", tendo publicamente afirmado rejeitar qualquer desarmamento "unilateral".