Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Justiça alemã ordena libertação imediata de Puigdemont

Miquel Llop/NurPhoto via Getty Images

Puigdemont sairá esta sexta-feira da prisão alemã. O tribunal de Schleswig considera que as acusações por crime de rebelião não se aplicam, no entanto o político ainda poderá ser extraditado por acusações sobre mau uso de fundos

A procuradoria alemã ordenou esta sexta-feira a libertação imediata do ex-presidente do governo catalão Carles Puigdemont, após o pagamento da caução de 75 mil euros.

Os procuradores de Schleswig anunciaram esta sexta-feira que Puigdemont forneceu às autoridades um endereço na Alemanha onde ficará a residir enquanto se aguarda uma decisão da justiça alemã sobre o processo da sua extradição.

O antigo governante catalão foi detido a 25 de março após ter entrado, de carro, na Alemanha, quando regressava da Dinamarca, no âmbito de um mandado de captura europeu emitido por Espanha, que o acusa de rebelião e mau uso de verbas públicas por organizar um referendo, declarado ilegal pelo Tribunal Constitucional, sobre a independência da Catalunha.

Segundo fontes do partido Junts per Catalunya (JxCat), Puigdemont deverá realizar uma conferência de imprensa às 18h00 (menos uma hora em Lisboa) em Neumünster.

O tribunal de Schleswig decidiu esta quinta-feira que o ex-presidente da Generalitat não pode ser extraditado pelo crime de rebelião, porque a lei equivalente na Alemanha pressupõe o uso ou ameaça de força suficiente para contrariar a vontade das autoridades, mas ele ainda pode ser extraditado pela acusação de mau uso de fundos.

A Assembleia Nacional Catalã (ANC) anunciou na noite passada que já tinha feito a transferência para pagar a fiança para a libertação de Puigdemont.

As forças soberanistas enviaram esta manhã para a Alemanha diferentes delegações para apoiar Puigdemont na sua saída da prisão de Neumünster.