Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Alunas raptadas pelo Boko Haram na Nigéria “devolvidas” à comunidade

AMINU ABUBAKAR/Getty Images

Incrédulos, alguns residentes de Dapchi disseram à BBC que os militantes chegaram à cidade esta quarta-feira de manhã numa série de carros para entregar muitas das alunas que o grupo tinha raptado em fevereiro

Muitas das alunas nigerianas que, há um mês, foram raptadas por militantes do Boko Haram regressaram esta quarta-feira à sua comunidade, avançaram residentes incrédulos da cidade de Dapchi em declarações à BBC.

Alguns dizem que "a maioria" das 110 raparigas foi trazida de volta a Dapchi em carros na manhã desta quarta-feira. As circunstâncias do seu regresso continuam por apurar, havendo indicações de que pelo menos cinco delas terão morrido desde que foram levadas da sua escola no final de fevereiro.

Ao canal britânico, o residente Parent Kundili Bukar explicou que os militantes do Boko Haram, um grupo extremista que quer criar um Estado islâmico no Norte da Nigéria, chegaram à cidade numa coluna de veículos para "devolverem" as alunas à comunidade. Essa e outras testemunhas dizem que, depois disso, os responsáveis abandonaram imediatamente o local.

Apesar de o governo e as autoridades da Nigéria ainda não terem confirmado oficialmente a libertação das alunas, uma fonte do Exército destacada num checkpoint próximo de Dapchi garantiu à Reuters que assim foi: "O Boko Haram trouxe as raparigas de volta."

Por resgatar continuam várias das 276 alunas que foram levadas pelo Boko Haram de um colégio de Chibok em 2014, uma localidade a cerca de 275 quilómetros de Dapchi. Ao final de quase quatro anos, e segundo um balanço oficial, 112 delas continuam desaparecidas.