Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Sismo no sul de Itália faz pelo menos dois mortos

CIRO DE LUCA/REUTERS

Sismo ocorreu na turística ilha de Ischia, no golfo de Nápoles, no sul de Itália. Os maiores estragos foram registados em duas pequenas localidades na costa norte da ilha, Casamicciola e na vizinha Lacco Ameno.

Pelo menos duas pessoas morreram na segunda-feira à noite na sequência de um sismo na ilha de Ischia, no golfo de Nápoles, no sul de Itália, segundo o mais recente balanço das autoridades italianas.

O primeiro balanço dava conta de uma vítima mortal, uma mulher que foi atingida por pedras e detritos que caíram de uma igreja na localidade de Casamicciola, localizada no norte da ilha, indicou a proteção civil italiana. A segunda vítima, também uma mulher, foi encontrada nos escombros de uma casa que ruiu devido ao forte abalo que se registou na ilha.

As equipas de socorro continuam a tentar retirar dos escombros duas crianças de quatro e sete anos, depois de terem conseguido resgatar o seu irmão, um bebé com apenas sete meses, por volta das 4h00 (3h00 em Lisboa), diz a AFP, citando a câmara municipal de Nápoles. A mesma agência noticiosa refere que foi a mãe das crianças, que se encontra já em segurança, que deu o alerta.

O sismo ocorreu às 20h57 (19h57 em Lisboa), com epicentro a noroeste da ilha e hipocentro a dez quilómetros de profundidade. Os maiores estragos foram registados em duas pequenas localidades na costa norte da ilha, Casamicciola e na vizinha Lacco Ameno. Em Casamicciola, ruíram uma dezena de edifícios, algumas estruturas e o abastecimento de eletricidade foi interrompido, segundo a imprensa local, que cita fontes dos bombeiros.

Pelo menos 39 pessoas ficaram feridas, na maioria dos casos sem gravidade, acrescentaram. Inicialmente, o Instituto de Geofísica e Vulcanologia de Itália (INGV) tinha anunciado uma magnitude de 3,6 na escala aberta de Richter, mas horas depois corrigiu a informação para 4,0 de magnitude na mesma escala.

“Estava no sofá a ver televisão. De repente, ficou tudo escuro, comecei a tremer e algo caiu sobre a minha cabeça. Comecei a gritar, a minha mãe pegou em mim e corremos os dois lá para fora”, escreveu uma testemunha no Twitter. “Foi uma experiência horrível, estava tudo a abanar, tudo mergulhado numa grande escuridão, as casas estavam a ruir... foi um pesadelo”, escreveu outra testemunha na mesma rede social.

Pouco depois das 00h00 (23h00 em Lisboa), a proteção civil anunciou ter retirado com vida um casal dos escombros da casa de família e que prosseguiam os trabalhos para retirar três crianças.

A ilha de Ísquia, próxima da de Capri, é um dos destinos turísticos mais populares do Golfo de Nápoles, com cerca de 50 mil habitantes. Os tremores de terra são ali frequentes. O mais grave ocorreu em julho de 1883, com uma magnitude de 5,8. Mais de duas mil pessoas morreram.

O sismo de segunda-feira ocorreu a dias do primeiro aniversário do sismo que fez 299 mortos em Amatrice, no centro do país, a 24 de agosto de 2016.