Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

John McCain diagnosticado com cancro no cérebro

TASOS KATOPODIS

Senador republicano que foi rival de Barack Obama nas presidenciais de 2008 está a avaliar opções de tratamento, que segundo os seus médicos deverão passar por uma combinação de quimioterapia e radioterapia

O senador republicano John McCain foi diagnosticado com um cancro no cérebro na semana passada e está agora a avaliar opções de tratamento, em que se incluem rondas combinadas de químio e radioterapia.

O seu gabinete avançou esta quarta-feira à noite que o veterano de guerra, de 80 anos, está "bem-disposto" e a recuperar em casa, após os médicos terem detetado o tumor cancerígeno durante uma cirurgia para remover um coágulo de sangue por cima do seu olho esquerdo.

Atualmente a cumprir o seu sexto mandato como senador do Partido Republicano, McCain foi submetido a cirurgia na sexta-feira passada numa clínica da cidade de Phoenix no Arizona, o estado que representa na câmara alta do Congresso. Uma análise a tecidos recolhidos durante a operação comprovou que sofre de um tumor maligno cerebral conhecido como glioblastoma que está associado ao coágulo de sangue a que foi operado.

"Os médicos do senador dizem que ele está a recuperar da cirurgia 'muito bem' e que o seu estado de saúde subjacente é excelente", informou em comunicado a clínica Mayo, onde McCain está a ser seguido. "As opções de tratamento incluem uma combinação de químio e radioterapia."

O glioblastoma, a forma mais comum de tumor maligno no cérebro, é um tipo agressivo de tumor cerebral que afeta mais homens do que mulheres e que é mais frequente à medida que a idade avança.

O gabinete de McCain, que atualmente lidera a comissão de Serviços Armados do Senado, informou que o político está "bem-disposto à medida que continua a recuperar em casa com a sua família" – que segundo a sua filha Meghan, de 32 anos, ficou "chocada" com a notícia.

"Não será uma surpresa para vocês que, perante tudo isto, seja o meu pai aquele entre nós que está mais confiante e calmo", escreveu no Twitter. "Ele está a enfrentar este desafio como sempre enfrentou os outris. O cancro pode afligi-lo de várias formas, mas não fazê-lo render-se. Nunca nada o fez."

O Presidente Donald Trump – que durante a campanha acusou McCain de não ser um verdadeiro herói de guerra porque os heróis não se deixam capturar pelo inimigo (McCain foi sujeito a tortura durante a guerra do Vietname) – emitiu um comunicado a dizer que o republicano "foi sempre um lutador" e a desejar-lhe "rápidas melhoras".

No Twitter, o líder da maioria republicana no Senado, Mitch McConnell, lembrou que McCain é "um herói do nosso país" que "nunca fugiu de lutas". "Sei que ele vai enfrentar este desafio com a mesma coragem extraordinária que tem caracterizado a sua vida."

Barack Obama, antecessor de Trump e contra quem McCainn concorreu às presidenciais de 2008, também recorreu ao Twitter para celebrar o percurso do senador. "John McCain é um herói americano e um dos combatentes mais valentes que já conheci. O cancro não sabe o que vai enfrentar. Dá-lhe o inferno, John."