Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

PM holandês pede aos eleitores para serem os primeiros na Europa a travar o populismo 

Mark Rutte, primeiro-ministro holandês

Jack Taylor / Getty Images

Mark Rutte diz que as eleições legislativas na Holanda são os quartos de final da batalha contra o populismo. “As meias-finais são em França em abril e maio e depois a final é na Alemanha em setembro”, sublinha o governante

O atual primeiro-ministro da Holanda e candidato nas eleições legislativas de quarta-feira, Mark Rutte, pediu esta segunda-feira aos eleitores holandeses para serem os primeiros na Europa "a travar o mau populismo".

O apelo de Rutte ocorre a dois dias das disputadas eleições legislativas holandesas, num momento em que a força política do primeiro-ministro, o Partido Popular para a Liberdade e Democracia (VVD, centro-direita), é seguida de perto pelo Partido da Liberdade (PVV, extrema-direita), liderado pelo deputado anti Islão Geert Wilders.

"Podemos dizer que estas eleições são os quartos-de-final para tentar travar a vitória do mau populismo", disse Mark Rutte, numa conferência de imprensa em Roterdão, horas antes de um debate televisivo com Wilders.

E o político acrescentou: "As semifinais são em França em abril e maio e depois a final é na Alemanha em setembro".

"Quero que a Holanda seja o primeiro país a acabar com o mau populismo, a travar o efeito dominó", defendeu o líder do VVD, numa referência à saída britânica da União Europeia (UE), processo que ficou conhecido como 'Brexit', e as eleições presidenciais nos Estados Unidos.

O debate televisivo entre Mark Rutte e Geert Wilders é aguardado com expetativa na reta final da campanha eleitoral, que tem sido marcada por questões relacionadas com a imigração e a integração.

Candidato a um terceiro mandato na liderança do governo holandês, Mark Rutte, de 50 anos, afirmou estar a "lutar muito" para "evitar acordar no dia 16 de março num país onde Geert Wilders é a maior força política".

"Mesmo que ele não tenha qualquer hipótese de governar, porque o meu partido não vai governar com ele, seria o enviar de uma mensagem para o resto da Europa", sublinhou o político liberal.
Segundo o último estudo publicado no domingo pelo site Peilingwijzer, que juntou seis sondagens diferentes, o partido do atual primeiro-ministro holandês lidera as intenções de voto com 16%.

O VVD conseguiria entre 23 a 27 lugares parlamentares do total de 150 que compõem a câmara baixa do Parlamento holandês. Este número fica, no entanto, muito longe dos 40 atualmente detidos pela força partidária de Rutte.

Nas últimas semanas, Geert Wilders, de 53 anos, tem visto a sua força política (PVV) a recuar nas intenções de voto, situando-se neste momento, de acordo com as sondagens, nos 13%, entre 19 a 23 lugares parlamentares.