Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

200 mil brasileiros saem às ruas em protesto

No Rio de Janeiro, um grupo afastou-se da manifestação principal e causou desacatos

Sergio Moraes/Reuters

Contra o aumento dos transportes públicos e os gastos com o Mundial-2014, várias manifestações ocorreram ontem em cidades do Brasil. Hoje há encontros de solidariedade em Lisboa, Coimbra e Porto e outros pontos do globo.

Inicialmente motivados pelo aumento das tarifas dos transportes públicos, os protestos iniciados no Brasil há duas semanas espalharam-se ontem a várias cidades, fazendo sair às ruas perto de 200 mil pessoas.

O conjunto das manifestações realizadas alargou também o campo das reivindicações, com novas palavras de ordem, agora contra os gastos considerados excessivos com a organização do Campeonato do Mundo de futebol de 2014.

Dos vários locais - como Brasília, São Paulo, Belo Horizonte, Porto Alegre, Belém, Curitiba - a maior concentração aconteceu no Rio de Janeiro, onde 100 mil pessoas marcharam pelo centro da cidade, de forma pacífica, durante algumas horas.

Cerca das 20h locais (24h em Lisboa), porém, instalou-se a confusão, depois de um grupo de dissidentes da manifestação inicial se ter dispersado, provocando desacatos. Dois carros foram incendiados, além de terem sido atiradas pedras contra o edifício da Assembleia Legislativa, o que obrigou à intervenção da Polícia de Choque, que usou balas de borracha e gás lacrimogéneo.

Polícias e manifestantes feridos

De acordo com a Secretaria de Segurança, 20 polícias foram feridos por pedras ou estilhaços de vidros. Oito manifestantes sofreram também ferimentos, refere o jornal "O Globo".

Em Porto Alegre houve também momentos de violência. Segundo a "Folha de São Paulo", um autocarro foi incendiado, várias lojas assaltadas e um escritório público vandalizado.

Ontem mesmo, comentando os protestos, a Presidente Dilma Rousseff considerou as manifestações pacíficas "legítimas" e "próprias da democracia", acabando por se reunir com o ministro da Justiça, para acompanhar o desenvolvimento das manifestações.

À distância, os estudantes brasileiros em Portugal acompanham a evolução dos acontecimentos e solidarizam-se com os protestos. Através da rede social Facebook, alguns convocaram para hoje, em Lisboa (Praça Luís de Camões), Coimbra ((Largo D. Dinis e escadarias monumentais) e Porto (Avenida dos Aliados), manifestações pacíficas de apoio aos protestos no Brasil.

As concentrações estão marcadas para as 17h. Outros 26 municípios pelo mundo também têm manifestações similares agendadas pela internet para este mês, como Madrid, Barcelona, Bruxelas, Paris e Nova Iorque.