Siga-nos

Perfil

Expresso

Iniciativas e Produtos

Dicas de Saúde: a prevenção e tratamento de pediculose

Tenha cuidado com os piolhos e saiba como pode evitá-los. Nos próximos meses, vamos lançar um largo conjunto de sugestões no campo da saúde. Acompanhe esta parceria Expresso/Farmácias Portuguesas

Conteúdo vídeo fornecido pelas Farmácias Portuguesas

O que são piolhos?

Os piolhos são parasitas, achatados e sem asas, que precisam de um hospedeiro - o ser humano - para completar o ciclo de vida. Fixam-se no cabelo e, para se alimentarem, picam o couro cabeludo injetando uma espécie de saliva – é esta saliva que provoca a típica comichão. Este é o principal sintoma da infestação por piolhos, conhecida por pediculose.

"Sendo um bichinho tão inofensivo é preocupante porque gera mal-estar nas famílias, consome muito dinheiro e provoca absentismo escolar", disse o coordenador do serviço de Pediatria do Hospital Cuf Porto, Emídio Carreiro, ao "Jornal de Notícias".

Como ocorre a transmissão?

Os piolhos multiplicam-se, depositando diariamente nos cabelos cerca de oito a doze brilhantes e esbranquiçados ovos - as conhecidas lêndeas. Ao fim de cinco a dez dias, nascem novos piolhos, dando início a novo ciclo reprodutivo após 14 dias. Está-se então perante uma infestação, que pode ocorrer em qualquer cabeça: não importa a idade ou a raça, e não é uma questão de higiene!

Os piolhos não saltam nem voam, mas passam facilmente de uma cabeça para outra por contacto direto sendo, por isso, muito comum a transmissão entre crianças, em ambiente escolar. Adicionalmente a transmissão deste parasita pode ser feita por contacto indireto através de pentes, escovas, chapéus, almofadas ou lençóis.

Como confirmar a presença de piolhos?

É quase sempre a comichão que denuncia a presença de piolhos. Por isso, há que vigiar os cabelos sobretudo na nuca e atrás das orelhas, as zonas preferidas pelos piolhos e, perante a suspeita, há que agir. Não basta haver comichão, é importante que se observe se há piolhos vivos e lêndeas, para confirmar a infestação.

Como? Com a ajuda de uma luz forte, de um pente próprio e alguma paciência:

  1. lave o cabelo e aplique amaciador em abundância, para facilitar o desprendimento do piolho ou da lêndea;
  2. desembarace o cabelo ainda húmido, dividindo-o em secções;
  3. penteie cada madeixa, da raiz às pontas, com um pente próprio, de dentes muito finos que pode ser adquirido na farmácia; A cada passagem, limpe o pente a um lenço de papel branco;
  4. analise as partículas recolhidas: os piolhos soltam-se e vêem-se facilmente, as lêndeas são mais resistentes e tendem a fixar-se aos cabelos;
  5. por fim deite o lenço de papel no lixo dentro de um saco fechado;

Caso se confirme a presença de piolhos e lêndeas, terá de recorrer a um tratamento apropriado. Os tratamentos mais eficazes consistem na aplicação de antiparasitários, sob a forma de champô, creme, spray, gel, espuma ou loção, ou o uso de pentes eletrónicos.

Os antiparasitários usam-se apenas em caso de infestação e com aconselhamento prévio: não os use em elementos da família cuja infestação não foi confirmada ou para prevenir reinfestações: o uso incorreto pode levar à redução de eficácia de alguns antiparasitários. A prevenção do contágio consegue-se através de outras medidas. Para as conhecer, veja o vídeo.

  • Dicas de Saúde: para seu bem, evite as cáries

    É um dos problemas mais comuns nos dentes mas também dos que devia ser mais fácil evitar. Perceba como. Até dezembro, vamos lançar um largo conjunto de sugestões no campo da saúde. Acompanhe esta parceria Expresso/Farmácias Portuguesas

  • Dicas de saúde: o inimigo público número 1? A obesidade

    A obesidade é o foco do primeiro tema e vídeo sobre cuidados de saúde que deverá ter para que não seja apanhado desprevenido. Nos próximos meses lançaremos um largo conjunto de sugestões. Acompanhe esta parceria Expresso/Farmácias Portuguesas

  • Dicas de saúde: a rinite não mata. Mas mói

    A doença que afeta um quarto da população portuguesa tem efeitos na qualidade de vida das pessoas se não for tratada. Nos próximos meses, o Expresso em conjunto com a ANF vai lançar um largo conjunto de sugestões. Acompanhe esta parceria Expresso/Farmácias Portuguesas

  • Dicas de saúde: a asma que 300 mil portugueses têm por tratar

    Doença pulmonária afeta perto de 1 milhão de pessoas no país e, se não for acompanhada, tem efeitos graves no dia a dia das pessoas. Nos próximos meses, vamos lançar um largo conjunto de sugestões no campo da saúde. Acompanhe esta parceria Expresso/Farmácias Portuguesas

  • Dicas de saúde: superalimentos não são milagres. Mas ajudam

    A sua introdução na alimentação diária melhora, de um modo geral, o bem-estar físico. Mas nem são uma panaceia para todos os males. Nos próximos meses, vamos lançar um largo conjunto de sugestões no campo da saúde. Acompanhe esta parceria Expresso/Farmácias Portuguesas

  • Dicas de Saúde: que protetor solar deve escolher?

    É uma das clássicas dúvidas para o verão que pode fazer toda a diferença. E exige cuidados. Nos próximos meses, vamos lançar um largo conjunto de sugestões no campo da saúde. Acompanhe esta parceria Expresso/Farmácias Portuguesas

  • A relação entre o sol e o envelhecimento da pele é estreita e merecedora de cuidados. Nos próximos meses, vamos lançar um largo conjunto de sugestões no campo da saúde. Acompanhe esta parceria Expresso/Farmácias Portuguesas

  • Dicas de Saúde: como evitar a dermatite da fralda

    Um dos problemas mais comuns entre os 9 e os 12 meses pode ser evitado e controlado. Nos próximos meses, vamos lançar um largo conjunto de sugestões no campo da saúde. Acompanhe esta parceria Expresso/Farmácias Portuguesas