Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Ucrânia apresenta plano para reduzir défice

Novo governo ucraniano apresenta plano para reduzir o défice, travar a desvalorização do Forint e dar confiança aos mercados.

O novo governo da Hungria apresenta na terça feira um plano de ação para limitar o défice público em 2010 a 3,8% do Produto Interno Bruto (PIB), disse hoje o ministro da Economia húngaro, György Matolcsy.

O plano pretende ainda travar a queda da moeda nacional, o Forint, e dar confiança aos mercados depois de membros do novo executivo terem dito, na sexta feira, que o país está à beira da falência e que o défice desde ano poderia atingir "7 a 7,5%".

Já no sábado, o secretário de Estado Mihály Varga considerou "exageradas" as declarações sobre um possível colapso da economia e negou comparações com a Grécia.

O plano de ação que o chefe do governo conservador, Viktor Orban, vai apresentar na terça feira ao parlamento húngaro "irá abordar duas coisas: por um lado assegurar a manutenção do défice público em 3,8% do PIB [acordado pelo anterior governo socialista com o Fundo Monetário Internacional e a União Europeia] e, por outro lado, relançar o crescimento económico", disse o ministro da Economia ao canal de televisão TV2.

"A redução das despesas orçamentais será proveniente da redução da burocracia, que será acompanhado pelo estímulo ao crescimento e uma aceleração dos pagamentos das fontes comunitárias", acrescentou.

Medidas não são para já conhecidas

Depois das declarações alarmantes de dois dos seus mais próximos colaboradores, o primeiro-ministro convocou no sábado o seu gabinete para definir medidas capazes de limitar o défice público a 3,8% do PIB.

O novo plano deverá contradizer as promessas do partido Fidesz, que em abril ganhou as eleições legislativas, de reduzir os impostos, tanto pelas necessidades de medidas mais apertadas como pela contenção imposta pelo Fundo Monetário Internacional, Banco Mundial e União Europeia, depois do empréstimo de 20 mil milhões concedido à Hungria em 2008, ainda antes do colapso do banco financeiro Lehman Brothers.

A situação na Hungria empurrou hoje as bolsas europeias para terreno negativo, depois de os mercados asiáticos terem fechado a sessão de hoje em fortes quedas.

Após as declarações do ministro da economia húngaro, o forint valorizou um pouco face ao euro. Cada forint equivalia hoje a 286,80€ contra os 288,80 de sexta feira.

*** Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico ***

Clique para ler a Nota da Direcção do Expresso sobre o novo Acordo Ortográfico.