Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Turistas no Norte preferem voos "low cost" à TAP

O inquérito ao perfil do turista que visita o Porto e Norte de Portugal revela que uma em cada três viagens é assegurada pela Ryanair e que a esmagadora maioria das reservas é feita pela Internet.
 

Conceição Antunes (www.expresso.pt)

França continua a ser o principal mercado emissor de turistas que chegam a Porto e Norte de Portugal, com uma quota de 22,4%, seguida agora de Espanha (13,2%) e Brasil (11%), que destronaram Alemanha e Bélgica nestas posições durante o primeiro trimestre de 2010.

Esta é uma conclusão do estudo trimestral "Perfil do turista que visita o Porto e Norte de Portugal", realizado pelo Instituto de Planeamento e Desenvolvimento do Turismo (IPDT), em parceria com a Entidade Regional de Turismo do Porto e Norte de Portugal e com o Aeroporto Francisco Sá Carneiro.

Este estudo revela ainda que as companhias "low cost" já são as eleitas pelos turistas que se deslocam ao Porto e à região Norte. No primeiro trimestre de 2010, uma em cada três viagens foi assegurada pela Ryanair, quando em Novembro de 2009 era a TAP que estava no topo das preferências, com 27,1% dos turistas a viajar através da companhia portuguesa.

A Internet continua a crescer como plataforma mais utilizada para a marcação de viagem: sete em cada dez dos viajantes inquiridos recorreram a esta ferramenta, o que traduz um aumento de 15% face a 2009.

TAP lidera viagens de negócios

Mas a TAP continua a dominar no campo das viagens de negócios, tendo assegurado 57% das ligações dos executivos que rumaram ao Porto. Alemanha e Espanha são as principais origens dos turistas de negócios que chegam ao norte de Portugam, que em média têm entre 31 e 50 anos e têm um salário mensal que oscila entre 2 mil e 4 mil euros. Em média, estes turistas de negócios ficam três noites no Porto e cinco noites em outras zonas do Norte. mas apenas um em cada quatro gasta mais de 500 euros durante a estada.

Em relação à generalidade dos visitantes de lazer, o estudo revela que a maioria dos turistas no Norte gasta, em média, 670 euros durante a estada na região, o que representa uma quebra de 173 euros face à despesa média por turista no ano anterior.

De acordo com o inquérito aos turistas no primeiro trimestre deste ano, a maioria dos viajantes nunca tinha visitado a região, efectuou a reserva com uma antecedência igual ou superior a três semanas e expressa vontade de voltar e recomendar o destino.

Este estudo foi realizado com base num inquérito pessoal a 558 turistas durante os três primeiros meses de 2010. Em média, o turista visitou a região em grupos de três elementos, o que representa a diminuição de uma pessoa relativamente ao mesmo inquérito realizado em Novembro de 2009.