Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Toyota Prius Plug-in à venda em 2012

Os primeiros Toyota Prius Plug-in serão comercializados em Portugal, a partir de 2012. Os automobilistas não terão, assim, de esperar pelos resultados finais do teste a este automóvel híbrido eléctrico recarregável.

Alexandre Coutinho (www.expresso.pt)

A Toyota Caetano Portugal e a Galp Energia deram início, hoje, ao teste de longa duração do modelo Prius Híbrido Eléctrico Plug-in, com cinco dos 200 automóveis disponibilizados na Europa pela marca japonesa. Até 2013, três destes veículos serão confiados a quadros da Galp - Inês Feio, no Porto; José Alexandre Pereira, de Sines; e Paulo Ferreira, de Lisboa - previamente seleccionados pelo Instituto Superior Técnico mediante o seu padrão de mobilidade. De acordo com o IST, estes perfis representam cerca de 80% da mobilidade nos centros urbanos em Portugal. 

As restantes duas viaturas vão integrar um plano de teste e demonstração com vários parceiros e organizações (empresas, instituições, autarquias) que demonstrem interesse em experimentar este novo conceito de mobilidade, desenvolvendo e colocando à prova a tecnologia e infraestruturas de carregamento público no âmbito projecto nacional Mobi-E, como salientou o secretário de Estado para a Energia e Inovação, Carlos Zorrinho, presente na cerimónia de apresentação dos veículos. 

 "A Galp fez o leasing de quatro viaturas e vai pagar uma renda por isso. A quinta é disponibilizada pela Toyota Caetano", explicou Manuel Ferreira de Oliveira, presidente da Galp Energia, ao revelar pormenores do acordo com o importador nacional da Toyota. "Apenas colocámos no carro um dispositivo para a recolha de dados associados à condução (consumos, emissões de CO2, travagens, acelerações, entre outros) que serão analisados pelo IST", acrescentou.

Pontos de carregamento para eléctricos

Paralelamente, o presidente da Galp Energia apresentou o protótipo dos pontos de carregamento para viaturas eléctricas desenvolvido em parceria com a Efacec que estarão disponíveis nas estações de serviço da empresa. Estes equipamentos estão dotados de um software de diálogo com a rede e transmitem toda a informação para os telemóveis dos utilizadores. 

Tiago Farias, professor do Instituto Superio Técnico e coordenador do programa de monotorização destes automóveis, salientou a sua "flexibilidade na fonte energética e na utilização, sem gerar a nova doença da 'ansiedade da autonomia'. Segundo os estudos desenvolvidos pela Toyota, sobre o perfil de utilização dos veículos, as deslocações diárias da maioria dos utilizadores rondam em média os 20 quilómetros. Por isso, a questão da autonomia é um problema de ansiedade e não de necessidade". 

"Primeiro, vamos avaliar o comportamento do utilizador da tecnologia e os seus padrões de carga, seguindo-se a monotorização dos benefícios do plug-in ao nível das emissões de CO2, consumo de combustível e custos de utilização em geral. Sabemos que estamos perante a solução mais eficaz e imediata para a electrificação do automóvel, reforçada pelo potencial de eficiência ambiental e economia de combustível das viaturas híbridas", frisou José Ramos, presidente da Toyota Caetano Portugal, ao recordar que já circulam em Portugal 1600 unidades do Prius. 

Igualmente presente na cerimónia de apresentação das viaturas, Michel Gardel, vice-presidente da Toyota Motor Europe, revelou que os 2,4 milhões de Prius produzidos pela marca até à data, "foram responsáveis pela poupança de 3500 milhões de litros de gasolina e pela redução de mais de 10 milhões de toneladas de CO2". 

Preço ainda não é conhecido

"A indústria automóvel precisa de tempo para alcançar a maturidade nestes veículos inovadores", frisou Tiago Farias, ao lembrar que a Toyota iniciou, há 13 anos, o desenvolvimento do Prius híbrido. No entanto, os automobilistas portugueses não terão de esperar pela conclusão deste teste de 36 meses para se candidatarem à compra deste automóvel, dado que o mesmo "estará à venda em 2012", revelou José Ramos, presidente da Toyota Caetano Portugal. O preço final de venda ao público ainda não é conhecido, "mas vai ser competitivo com o de outros veículos do mesmo segmento, embora ligeiramente acima do actual Prius (30 mil euros)", acrescentou o mesmo responsável.  

Esta viatura familiar, do segmento D, com cinco lugares e uma bagageira com mais de 400 litros de capacidade, é capaz de percorrer em modo eléctrico 20 quilómetros a uma velocidade máxima de 100 km/h. Este desempenho permite ao Prius Plug-in (segundo dados do construtor) um consumo médio de 2,6 litros/100 km e emissões de CO2 de 59 gramas por cada 100 quilómetros percorridos, segundo a norma europeia recentemente aprovada.