Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Teixeira Duarte confirma oficialmente apoio a Santos Ferreira

"A Teixeira Duarte crê que existem condições para que se verifique um consenso alargado em relação à lista do Doutor Santos Ferreira", revelou à Lusa o responsável da empresa pelas relações com o mercado.

A Teixeira Duarte confirmou esta quinta-feira, oficialmente, o seu apoio à lista liderada por Carlos Santos Ferreira para o Conselho de Administração do BCP, ao lado de um grupo de accionistas cujas participações no capital do banco garantem a eleição.

"A Teixeira Duarte crê que existem condições para que se verifique um consenso alargado em relação à lista do Doutor Santos Ferreira, pelo que confirma o apoio à mesma, antes assumido", revelou à Lusa o responsável da empresa pelas relações com o mercado.

"Esperamos também que seja possível encontrar um consenso alargado quanto aos demais pontos da ordem de trabalhos" da assembleia-geral (AG), adiantou a mesma fonte.

A construtora tinha posto em causa o seu apoio inicial, dado ao assinar a proposta à AG da lista encabeçada por Santos Ferreira, quando alguns accionistas que também subscreveram essa lista avançaram com propostas para alargamento do Conselho Geral e de Supervisão e eleições de novos membros do Conselho de Remunerações, de onde saia Pedro Maria Teixeira Duarte e os outros actuais membros para entrar Joe Berardo, a presidir, e novos vogais.

Eureko, com 9,96%, A Teixeira Duarte, com cerca de 6,2%, Joe Berardo, com cerca de 6,82%, a Sonangol com mais de 5,0%, a EDP, com quase 4,5%, além de pelo menos mais quaro accionistas com participações próximas de 1,0% cada, apoiam Santos Ferreira.

A sua eleição como futuro presidente do BCP está por isso garantida, já a eleição da Administração só necessita de metade mais um dos votos emitidos na AG, onde tradicionalmente não está mais de 70% do capital.

Tal como a Lusa noticiou segunda-feira, com este consenso em torno do apoio a Santos Ferreira, os restantes temas agendados para a reunião magna de terça-feira, deverão ficar adiados para uma outra AG, provavelmente a anual, que se realizará em Março ou Abril.

Para isso, no decorrer da própria reunião os subscritores terão de informar o presidente da Mesa que decidiram retirar esses pontos de votação.