Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

TAM entra na Star Alliance

Depois da saída da extinta Varig, a TAM Linhas Aéreas passa a ser a única companhia aérea brasileira a figurar na Star Alliance.

Margarida Fiúza, no Rio de Janeiro (www.expresso.pt)

"A nossa integração na maior aliança global de aviação comercial do planeta permitirá ampliar os nossos serviços, oferecendo aos clientes uma experiência de viagem consistente e integrada", afirmou Líbano Barroso, presidente da TAM Linhas Aéreas.

"A nossa marca passará a ser global e a Star Alliance terá uma forte presença na América do Sul", acrescenta o gestor, que estima um aumento da receita na ordem dos 60 milhões de dólares (cerca de €47 milhões de euros).

"Com a TAM ganhámos um transportador com base na América do Sul, um importante mercado da aviação e lar de muitas economias em crescimento. Combinando a rede da TAM com a dos nossos transportadores membros já existentes, será possível à Star Alliance oferecer um produto muito competitivo para esta região", afirmou Jaan Albrecht, CEO da Star Alliance.

A TAM, que facturou cerca de 10,3 mil milhões de reais (€4,3 mil milhões de euros) em 2009, permitirá à aliança reforçar o seu volume de negócios para €138,5 mil milhões de euros.O namoro entre a TAM Linhas Aéreas e a Star Alliance começou em 2006. "Na altura tínhamos acordos celebrados com a American Airlines e a Air France, cada uma alimentando os nossos voos que chegavam em Miami e Paris", recorda Marcello Varela, director de alianças e relações internacionais da TAM.

"Queríamos casar com alguém da América do Sul, onde ainda não tínhamos conectividade. O Brasil e a região são destinos importantes, por isso começámos então a procurar por uma interessante marca que estivesse consolidada e operando nessa parte do continente. Nesse contexto, a TAM tornou-se muito atractiva, já que acrescenta 66 novos aeroportos, onde hoje nenhuma das outras companhias membros da Star opera", explicou o CEO da Star Alliance.