Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Risco de default português continua a subir

Num movimento conjunto, PIIGS voltam a ver riscos de bancarrota subirem neste começo da semana. Portugal mantém-se em 8º lugar e Grécia em 3º no TOP 10 mundial

Jorge Nascimento Rodrigues (www.expresso.pt)

Apesar do caminho trilhado pela zona euro desde 8 de Maio e do lançamento de diversos PECs, o monitor da CMA DataVision continua a observar um co-movimento de alta do grupo designado pejorativamente por PIIGS.

Ontem (24/05), o grupo Espanha, Itália, Portugal e Irlanda foi o que, num universo de 66 países, mais viu agravada a sua deterioração das condições de crédito, liderando o movimento altista. A tendência de subida continua, depois de umas tréguas, como se analisava no filme desde Janeiro, aqui.

Em relação a sexta-feira passada, os quatro países referidos aumentaram a sua probabilidade de default (de incumprimento de dívida). Portugal mantém-se no 8º lugar do TOP 10 mundial do risco de bancarrota, com mais de 24%, a Irlanda está, de novo, acima de 18% de risco e a Espanha próximo desse valor. A Itália continua a ver agravar-se o seu risco; subiu para quase 13,5%.

A Grécia, apesar de ter baixado ligeiramente em relação a sexta-feira, mantém-se em 8º lugar no TOP 10, com 43,5% de risco de default, longe do seu máximo histórico a 6 de Maio (de 52,71%) e ainda a alguma distância da Venezuela e Argentina, os líderes actuais do clube.

O monitor da CMA DataVision aponta ainda para a necessidade de acompanhamento da alta do risco de default na Roménia (cerca de 17%), Rússia (12%), Polónia (11%) e Bélgica (8,5%), ainda que em patamares distantes dos do grupo dos PIIGS.