Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Risco da dívida portuguesa volta a subir

Os Credit Default Swaps (CDS) associados aos títulos de dívida portuguesa subiram 13,6%, no dia em que Teixeira dos Santos vai apresentar o pacote de medidas de austeridade aos ministros da zona euro.

O risco da dívida portuguesa é o sexto que mais sobe no mundo esta manhã, mesmo depois de ter sido conhecido o novo pacote de medidas de austeridade do Governo.     Os 'Credit Default Swaps' (CDS) associados aos títulos de dívida portugueses a cinco anos subiam 13,6% relativamente ao fecho de sexta feira, situando-se nos 245,00 pontos base.     O risco associado à dívida pública espanhola segue também hoje a subir, sendo o quarto que mais sobe no mundo.      Assim, para segurar dívida pública portuguesa com maturidade a cinco anos no valor de 10 milhões de euros, os investidores teriam de pagar um seguro anual a rondar os 245 mil euros.   

Custo dos CDS supera 400 pontos base 

O custo dos CDS associados à dívida pública portuguesa chegou a superar os 400 pontos base nas últimas semanas, e o país chegou a figurar no 'top ten' dos países com maior risco de incumprimento, uma situação que já não se verifica.     Quanto aos juros da dívida soberana a 5 anos, situam-se hoje nos 3,57%.      O prémio pedido pelos investidores para comprarem dívida portuguesa em vez da dívida alemã está em 190,6 pontos base, de acordo com os dados da agência Bloomberg, demonstrando a ainda preocupação dos investidores com a economia portuguesa mas menor do que a já verificada.     A 7 de maio os juros subiram para um novo máximo histórico, alcançando os 6,053 por cento.       *** Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico ***  

Clique para ler a Nota da Direcção do Expresso sobre o novo Acordo Ortográfico.