Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Pulseiras Powerbalance são uma fraude, diz fabricante

A Powerbalance, empresa que fabrica as pulseiras do equilíbrio, admitiu que não há provas científicas que validem os efeitos das braceletes e garantiu o reembolso aos lesados.

Liliana Coelho (www.expresso.pt)

Começaram a ser usadas por famosos como Cristiano Ronaldo, David Beckman ou Lady Gaga e depressa viraram moda. As pulseiras do equilíbrio captaram adeptos em todo o mundo, prometendo mais equilíbrio e resistência aos utilizadores, mas levantaram também muitas dúvidas.

Centenas de associações de consumidores queixaram-se da publicidade enganosa destes acessórios e a fabricante dá-lhes mesmo razão. A Powerbalance Austrália admitiu hoje que as pulseiras do equilíbrio não funcionam, dado não existirem provas científicas que validem os seus efeitos e garantiu o reembolso a todos os consumidores que se sentirem lesados.

"Não há provas científicas que validem as nossas afirmações sobre a pulseira do equilíbrio, portanto admitimos ter assumido uma conduta enganosa", afirma a Powerbalance num comunicado no site.

"Caso se sinta lesado pela nossa publicidade, pedimos as mais sinceras desculpas e garantimos o re-embolso integral", acrescenta a empresa.

Deco sem queixas

Contactada pelo Expresso, a Deco garante que ainda não recebeu queixas dos consumidores sobre as pulseiras Powerbalance, mas apenas pedidos de informação sobre o preço. No entanto, a associação recomenda que no caso de publicidade enganosa se faça denúncia na Direção-Geral do Consumidor

"Se existir uma situação de publicidade enganosa em Portugal o consumidor deve apresentar queixa junto da empresa e da Direção-Geral do Consumidor, que pode instaurar um processo contra-ordenacional e obrigar a empresa ao pagamento de uma coima", aconselha Paulo Fonseca, jurista da Deco.

Recorde-se que em Espanha, o grupo que comercializa estas pulseiras foi multado em 15 mil euros, enquanto em Itália, as empresas Power Balance Italy e Sport Town foram multadas em 350 mil euros.