Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

PT seduz accionistas com ganhos futuros no Brasil

"A PT continuará a criar valor através da alavancagem da operação brasileira e da exposição futura à Vivo", afirmou Zeinal Bava aos investidores.

O presidente da PT, Zeinal Bava, afirmou hoje que, se os acionistas recusarem a oferta da Telefonica pela Vivo, terão oportunidade de obter maiores ganhos no futuro, graças à exposição ao mercado brasileiro.



Zeinal Bava disse hoje aos investidores, numa conferência do Banco Santander, que "a PT continuará a criar valor através da alavancagem da operação brasileira e da exposição futura à Vivo".



O presidente da PT argumenta com o plano de negócios da Vivo até 2011, ano em que pretende atingir 85% dos municípios brasileiros com banda larga de terceira geração, prometendo "uma melhoria da rentabilidade devido a maior eficiência e escala do negócio, bem como a geração de um forte 'cash flow'" e, como consequência, "um pagamento de dividendos atrativo".



Zeinal Bava explicou ainda que, se os acionistas votarem contra a proposta da Telefonica, a estratégia atual da gestão da PT permanecerá "intacta", ao passo que a espanhola Telefonica "continuará à procura de uma solução estratégica para o Brasil".



Proposta não incorpora todas as variáveis



Desta forma, o responsável realça que "a proposta de valor da Telefonica (6,5 mil milhões de euros) é errónea", uma vez que não leva em conta o processo de desenvolvimento da Vivo com a contribuição dos serviços da PT.



"Porque é que a Telefonica não tem em conta o último plano de negócios aprovado pela administração da Vivo?", questionou Bava.



O presidente da operadora portuguesa disse também que a oferta da Telefonica não incorpora o valor da Dedic GPTI (empresa de serviços 'call center' detida pela PT), sublinhando que esta companhia "tem um valor autónomo e não pode ser vista como uma extensão da Vivo".



Zeinal Bava voltou a afirmar que "o valor das sinergias (que a Telefonica diz que vai obter com a fusão da Telesp - operadora de telecomunicações fixas detida pelos espanhóis - e da Vivo) é pouco ambicioso (2,8 mil milhões de euros)" e questiona porque é que a Telefonica "conhecendo bem as duas empresas, se esconde atrás de relatórios de 'research'" e não apresenta ela própria um valor.



Aposta nos ganhos futuros no Brasil



O presidente da PT pergunta também quais são os ganhos em sinergias da Telefonica nesta operação com impostos, custos operacionais, investimentos e receitas, recordando que no negócio de aquisição dos ativos das operadoras O2 e Bell South's na América Latina, a operadora espanhola forneceu as suas próprias estimativas de sinergias. "Porque é que é que neste caso é diferente?", perguntou Bava.



O gestor reforçou que os acionistas da PT têm que escolher entre dois caminhos possíveis, um que passa pela aposta nos ganhos futuros no Brasil, e outro, que implica a aceitação da proposta da Telefónica, renunciando "à opcionalidade" e também à cristalização do "valor dos investimentos da PT no Brasil".



***Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico***