Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Nova ponte ferroviária no Sado aproxima Sines e Madrid

Um investimento de €159 milhões permitiu construir a nova ponte ferroviária no Sado que agiliza as ligações do porto de Sines à plataforma logística do Poceirão e a Madrid.

J. F. Palma-Ferreira (www.expresso.pt)

O porto de Sines ganhou melhores acessos a Madrid. Tudo porque o investimento de €159 milhões realizado na variante da linha ferroviária que passa perto de Alcácer - e que inclui a nova ponte sobre o Sado - reforçou a competitividade do porto de Sines.

É que a nova ponte no Sado permita a ligação de Sines às plataformas logísticas do Poceirão e de Elvas, articulando-as com os portos de Setúbal e Lisboa e com a ligação à linha de TGV entre Lisboa e Madrid.

Os primeiros "ensaios de carga" feitos na nova ponte sobre o Sado foram hoje acompanhados pelo secretário de Estado dos Transportes, Correia da Fonseca.

A Rede Ferroviária Nacional - Refer, explica que a realização de "ensaios de carga" é uma forma de caracterizar "o seu estado inicial, que poderá ser utilizado como uma referência ao longo da sua vida".

De Sines a Paris 

A variante ferroviária de Alcácer promove igualmente a interoperabilidade da rede ferroviária nacional com as redes transeuropeias de transporte de mercadorias, através da sua inserção nos corredores ferroviários Sines-Elvas e Sines-Algeciras-Madrid-Paris.

220 km/hora para o Algarve 

Por outro lado, a variante de Alcácer melhora a oferta ferroviária de passageiros de longo curso na ligação Lisboa-Algarve, reduzindo o tempo do percurso em 10 minutos, pois permite a circulação de comboios basculantes a 220 km/hora.

Os "ensaios de carga" hoje efectuados na Nova Travessia Ferroviária do Sado são realizados na sequência da instrumentação colocada nesta estrutura durante a sua construção.

150 sensores 

Neste período foram instalados sensores para a medição de deslocamentos verticais, rotações, extensões, temperaturas e forças nos pendurais. Particularmente elevado foi o número de extensómetros instalados - cerca de 150 -, distribuídos por nove secções dos arcos, cinco secções do tabuleiro da ponte e quatro secções do viaduto sul.

Serão realizados ensaios estáticos e dinâmicos, tal como previsto nas especificações do projeto e no plano de observação desta ponte.

Os ensaios estáticos têm como objetivo o estudo do comportamento da estrutura quando solicitada por sobrecargas significativas. Numa primeira fase serão determinadas experimentalmente as linhas de influência das diversas grandezas observadas.

Posteriormente, será avaliada a resposta da estrutura quando submetida a uma carga de elevada intensidade, materializada por uma composição constituída por uma locomotiva e oito balastreiros.

Ensaios na ponte 

Estes ensaios irão incidir sobre a ponte e os cinco tramos do viaduto sul adjacentes à ponte.

Os ensaios em regime dinâmico permitem conhecer as características dinâmicas mais importantes da ponte, designadamente, a configuração e as frequências próprias dos principais modos de vibração, bem como os coeficientes de amortecimento.

Estes ensaios, que incidirão fundamentalmente sobre a ponte, dividem-se em ensaios ambientais e ensaios com circulação de tráfego com diferentes velocidades. Durante a sua realização serão medidas as acelerações induzidas pelo vento, no âmbito dos ensaios ambientais, e pelas cargas circulantes, nos restantes ensaios.

Após a realização dos ensaios, os valores medidos serão comparados com os valores estimados através de um modelo numérico utilizado para simular o comportamento da estrutura quando submetido às condições de ensaio.