Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Nanium assina contrato com Infineon

Contrato entre a Nanium e a Infineon permite investimento de 35 milhões de euros na ex-Qimonda

Margarida Cardoso (www.expresso.pt)

A Nanium (ex-Qimonda) assinou um contrato com a multinacional alemã Infineon Technologies AG para a produção e licenciamento de uma tecnologia inovadora na área dos semicondutores. Para "garantir o sucesso do projecto e aumentar os actuais recursos, serão investidos na Nanium mais de 35 milhões de euros", informou hoje a empresa.

A unidade de Vila do Conde, que tem na sua génese empresas como a Siemens Semicondutores, a Infineon Technologies e a Qimonda Portugal passa, a partir de hoje, a produzir semicondutores com a tecnologia eWLB de 300 mm. A nível mundial, torna-se uma das primeiras empresas do sector com capacidade de produção neste área.

De acordo com informação oficial da empresa, a experiência e know-how da equipa da Nanium e os equipamentos de produção de última geração existentes na empresa "foram determinantes" para garantir o sucesso do projecto.

"O contrato assinado é um marco para a nossa empresa. Com esta tecnologia de vanguardar e a elevada procura de mercado, a Nanium criará, certamente, um amanhã sustentável como empresa independente", afirma Armando Tavares, presidente do Conselho de Administração da empresa.

Velocidade cruzeiro

Um dos trunfos desta tecnologia é o facto de permitir  reduzir o custo e o tamanho dos semicondutores, o que garante, à partida, procura no mercado mundial.

O arranque da produção do novo produto está previsto para o terceiro trimestre do ano, devendo atingir velocidade cruzeiro em Outubro.

A Nanium foi licenciada pela Infineon para utilizar esta tecnologia inovadora noutras aplicações e, de acordo com a sua administração, tem capacidade para dar resposta a futuras oportunidades de negócio nesta área "através da prestação de serviços de elevada qualidade a outras empresas líderes na indústria de semicondutores".

A Nanium foi formalmente constiuída em Fevereiro, depois de concluído o processo legal decorrente da insolvência da Qimonda Portugal.