Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Moniz da Maia nega pedido de financiamento à CGD

Administrador da Sogema nega pedido de financiamento à Caixa Geral de Depósitos (CGD) para comprar acções do BCP.

O administrador da Sogema Bernardo Moniz da Maia negou hoje, em declarações à agência Lusa, que a família Moniz da Maia ou a empresa tenham pedido financiamento à Caixa Geral de Depósitos (CGD) para comprar acções do BCP.

A Sogema detém uma participação superior a 2 por cento do capital e direitos de voto do Banco Comercial Português (BCP).

Na sexta-feira, 4 de Janeiro, o jornal Público noticiou que, no primeiro semestre de 2007, a CGD financiou 22 accionistas do BCP em mais de 500 milhões de euros para comprarem acções do maior banco privado português.

Entre estes accionistas, segundo o jornal, está a família Moniz da Maia, que apoia a lista liderada pelo ex-presidente da CGD Carlos Santos Ferreira ao conselho de administração do BCP.

No sábado, 5 de Janeiro, o jornal Expresso noticiou que "Moniz da Maia, Goes Ferreira e Joe Berardo também pediram créditos junto da Caixa para a compra de acções do BCP".

Em declarações à Lusa, Bernardo Moniz da Maia afirmou que "os membros da família Moniz da Maia não são titulares, a título individual, de acções do BCP".

"E a Sogema nunca solicitou, nem tão pouco obteve, qualquer financiamento da Caixa Geral de Depósitos para a compra de acções do BCP", esclareceu, adiantando que a informação que tem sido noticiada acerca do assunto "é falsa".

"Nenhum dos referidos jornais procurou, como seria devido, ouvir qualquer membro da Sogema, o que teria permitido esclarecer oportunamente a falta de fundamento da notícia e evitar que o público fosse induzido em erro, com manifesto prejuízo do seu bom-nome", sublinhou o administrador, que adiantou que "a Sogema irá solicitar o desmentido, em local próprio".