Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Mil reitores debatem universidade do futuro

Promover um ensino socialmente responsavel e o mote do simpósio, que conta com a participacão de 15 instituições portuguesas.

Ana Sofia Santos (www.expresso.pt)

Arrancou hoje o maior encontro de reitores do mundo em  Guadalajara , no México. O debate reúne 985 reitores que pertencem  ao Universia, a maior rede de universidades de língua hispânica e portuguesa, criada e financiada pelo banco espanhol Santander.

Portugal esta representado por 15 instituições, entre as quais a Universidade Técnica de Lisboa, Universidade do Porto e Universidade de Coimbra, através dos respectivos reitores. O mote do encontro, que termina amanha, e "Por um espaco ibero americano do conhecimento socialmente responsavel".

Onze painéis estão a discutir de que forma o ensino superior se deve renovar para ir ao encontro dos novos desafios que enfrentam as sociedades actuais. Ha um ano que o debate esta a ser preparado e o processo envolveu o trabalho de 300 reitores, bem como de docentes, estudantes, antigos alunos e empresários, entre outros participantes.

O desafio de contribuir para os temas que iriam ser discutidos no II Encontro Internacional de Reitores Universia foi lancado na Internet e gerou mais 750 para o debate.

No final, foram escolhidos onze temas estratégicos, entre os quais a internacionalização e cooperação universitária, o ensino superior e o conhecimento como factores de inclusão e coesão social, o papel das redes e associações internacionais de universidades e a mobilidade universitaria. Cabe ao reitor da Universidade do Porto, Marques dos Santos, falar sobre a questão da mobilidade.

Ao todo estao reunidas no Mexico 1057 delegações de universidades de 34 paises. Alem de instituições ibero-americanas, o encontro recebe tambem representantes do Reino Unido, China, Marrocos, Angola e Mocambique, por exemplo.

Esta segunda edição ocorre cinco anos depois da estreia, em 2005, ocorrida em Sevilha (Espanha), que culminou com a Declaração de Sevilha que esta na base da criação do espaco ibero-americano do conhecimento.

Um dos objectivos principais do simpósio do Mexico é criar a chamada Agenda de Guadalajara, que pretende definir qual o caminho que o ensino superior deve seguir para contribuir "para a promoção de um conhecimento socialmente responsavel", segundo o director-geral do Universia, Jaume Pages.

Ontem, na apresentacão do encontro aos meios de comunicação social, o responsável focou a importancia de serem as universidades ibero-americanas "a liderar o processo de reflexão sobre os desafíos que se colocam hoje as universidades".

Por sua vez, o presidente do Conselho de Reitores das Universidades Espanholas, Federico Gutierrez-Solana, adiantou que daqui vai sair a chamada Agenda de Guadalajara, que pretende definir os eixos para modernizar o ensino ibero-americano. "Queremos criar as bases para as universidades do futuro".

Coube ao reitor da Universidade Nacional Autónoma do México, Jose Narro, rematar a sessao: "O objectivo e dar formacaoque sirva, defacto, a sociedade".

Ana Sofia Santos, em Guadalajara

A jornalista viajou a convite do Santander