Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Michael Jackson ultrapassa Elvis

Em vida estava afundado em dívidas superiores a 400 milhões de dólares. Um ano depois de morrer soma contratos milionários.

Catarina Nunes (www.expresso.pt)

A renovação do contrato com a Sony, o lançamento de um jogo de vídeo, espectáculos do Cirque du Soleil e artigos de merchandising foi o que permitiu a Michael Jackson equilibrar as contas depois de morrer.

De acordo com especialistas em gestão de património de celebridades, citados pelo The New York Times, sustentam que no longo prazo Michael Jackson poderá fazer sombra ao ícone dos negócios depois da morte: Elvis Presley, que em 2009 rendeu 55 milhões de dólares.

O filme "This is It", que foi produzido antes da sua morte a 25 de Junho de 2009, faturou em todo o mundo 261 milhões de dólares e, no ano passado, Michael Jackson vendeu 8,3 milhões de albúns só nos Estados Unidos, de acordo com os dados do Nielsen SoundScan. Números que colocam o músico afro-americano à frente de qualquer outro.

Antes de morrer, aos 50 anos, Michael Jackson estava falido, com dívidas superiores a 400 milhões de dólares, e tentava o tudo por tudo para voltar à ribalta. O regresso aos espectáculos ao vivo, ao fim de 12 anos de afastamento dos palcos, era a tábua de salvação que estava a preparar.