Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Joaquim Coimbra em guerra com accionistas da SLN

Assembleia Geral de quinta-feira arrisca-se a ficar marcada pelos conflitos entre accionistas. Está em causa um contrato de venda de acções da SLN Valor assinado entre Coimbra e Oliveira Costa.

Isabel Vicente e Pedro Lima

Joaquim Coimbra, um dos maiores accionistas da Sociedade Lusa de Negócios (SLN), avançou com uma providência cautelar de arresto das acções da SLN Valor (empresa que tem cerca de 45% da SLN), e da qual o próprio Coimbra é accionista.

O conflito entre Joaquim Coimbra e os restantes accionistas da SLN Valor diz respeito a um contrato de venda das acções da SLN Valor que o empresário tinha assinado com o anterior presidente da SLN e do BPN, José Oliveira Costa. Coimbra estará a alegar que, tendo este contrato terminado, pode vender as acções à SLN Valor, algo que não está a ser aceite pela administração desta empresa.

Devido ao diferendo, acabou por avançar com a providência cautelar, que foi aceite. Esta questão poderá ser relevante na Assembleia Geral (AG) da SLN, marcada para quinta-feira, e que tem como objectivo resolver a difícil situação financeira do grupo liderado por Miguel Cadilhe.

Alguns accionistas da SLN desvalorizam a situação, referindo que com o arresto a SLN Valor apenas ficará impedida de votar no ponto relativo à redução de capital. Esperam, por outro lado, que os restantes accionistas da SLN votem favoravelmente a redução de capital, pelo que o arresto das acções conseguido por Coimbra não deverá ter impactos na empresa.

O Expresso contactou Joaquim Coimbra mas não foi possível obter uma reacção do empresário.