Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

ISCTE oferece pós-graduações a licenciados no desemprego (com vídeo)

O ISCTE vai oferecer entre 50 a 60 pós-graduações a licenciados que se encontrem em situação de desemprego há pelo menos seis meses.

Mais de 50 licenciados desempregados vão poder integrar, no próximo ano lectivo, os Mestrados Executivos da escola de gestão do ISCTE sem pagar nada, para valorizar a sua formação e tentar encontrar um novo emprego em época de crise.

"Tomámos esta decisão nesta altura, em que o desemprego tem vindo a aumentar, porque achamos que temos responsabilidade social e, especialmente nesta altura de crise, podemos contribuir para reduzir os problemas destes profissionais desempregados", explicou à agência Lusa o presidente do ISCTE Business School Gomes Mota.

De acordo com António Gomes Mota, o ISCTE Business School (IBS) vai oferecer entre 50 a 60 Mestrados Executivos a licenciados que se encontrem em situação de desemprego há pelo menos seis meses e que tenham uma experiência profissional de pelo menos três anos após a licenciatura.

"Os candidatos têm que reunir estas condições e depois o processo de selecção irá valorizar o currículo de cada um", disse o presidente do IBS acrescendo que provavelmente vão surgir muitos candidatos dado que estes programas de pós graduação "têm um rácio de procura muito elevado".

"Não é qualquer pessoa que vem aqui fazer um Mestrado Executivo", referiu.

"O nosso objectivo não é criar um programa para desempregados mas sim dar uma resposta a estas pessoas, integrando-as num programa de pós graduação normal para pessoas que estão a trabalhar e dar-lhes a oportunidade de estabelecerem contactos que lhes possibilitem a reinserção profissional", afirmou.

Para Gomes Mota, estes programas de pós graduação têm a vantagem de ser "uma mais valia em termos de conhecimento e de permitir o contacto com pessoas que estão em pleno exercício da actividade profissional e que podem ajudar a encontrar colocação para estes desempregados".

"Esta iniciativa surgiu devido ao aumento do desemprego, porque eu acredito que, em época de crise, as grandes soluções devem ser o somatório de pequenas soluções", defendeu o professor.

Os 23 Mestrados Executivos do IBS, que normalmente custam a cada aluno pelos menos seis mil euros, incluem áreas como a gestão, finanças, marketing e direcção comercial, contabilidade, fiscalidade e controlo de gestão.