Siga-nos

Perfil

Economia

Estratégias

EUA 1 - Europa 0

Quatro em cada dez investidores e analistas indicam que os EUA são o mercado com as melhores oportunidades de investimento para o que resta do ano. A Europa está no lugar oposto de preferências, refere a sondagem global da Bloomberg. Clique para visitar o canal Dinheiro

Nuno Alexandre Silva (www.expresso.pt)

Se no princípio de 2010 era na China e nas economias emergentes que se depositavam grandes esperanças de lucros accionistas, agora a brisa dos mercados parece estar a soprar na direcção das bolsas dos Estados Unidos da América.

Numa sondagem conduzida mundialmente pela agência Bloomberg a 1001 subscritores, entre analistas, investidores e corretores, praticamente quatro em cada dez indicaram os EUA como o mercado com melhores oportunidades para o que falta do ano, à frente de mercados como Brasil e China, segundo e terceiro mercados mais atractivos, recolhendo 29% e 28% das escolhas, respectivamente. Em Janeiro, a China liderava as opiniões dos especialistas.

É para a Europa que os resultados são mais decepcionantes. Mais de metade dos inquiridos vê a União Europeia como tendo o pior cenário de oportunidades de investimento, quando em Janeiro eram apenas um terço os que olhavam com desconfiança para a Europa.

Além destas conclusões, o estudo da Bloomberg aponta que 42% dos investidores acredita que a economia mundial está a deteriorar-se (eram apenas 21% em Janeiro), que a longo prazo a China mantém a tendência de subida e poderá tomar o lugar dos EUA como a maior economia do mundo nos próximos 20 anos e que a maioria dos questionados indica as acções como activos mais atractivos, seguidas das matérias-primas.

Quanto às obrigações estão no lugar mais baixo das preferências de activos para investir, principalmente as ligadas à China, que começa a alimentar receios de sobreaquecimento e o estudo revela ainda que 49% acreditam que os preços do petróleo vão subir nos próximos seis meses.