Siga-nos

Perfil

Economia

Ações

Cotadas sofrem com aumento de impostos

Se tem acções em carteira, prepare-se. Com o aumento de impostos anunciado pelo Governo todos os sectores serão afectados, segundo um estudo do Banco BPI. Só na banca, os lucros irão diminuir entre 2% e 4%. Clique para visitar o canal Dinheiro

Luis Caleira Marques (www.expresso.pt)

Além das implicações directas na carteira dos portugueses, estas medidas fiscais também irão mexer com os lucros das empresas. A análise foi efectuada pelo BPI e o Dinheiro indica-lhe as principais conclusões. Com o aumento do IRC todas as empresas irão ver o imposto liquidado aumentar, no entanto, "o impacto será inferior em empresas com um grau elevado de activos no estrangeiro", como a Jerónimo Martins, a SAG e a Sonae Indústria. O aumento do IVA em todos os escalões vai fazer com que ocorra "uma evolução mais lenta do consumo privado", o que irá ser negativo para a evolução das contas da Sonae e da Ibersol, empresa que detém em Portugal os restaurantes Pizza Hut, KFC e Burger King entre outros. "No que diz respeito aos bancos, estas alterações vão ter um impacto negativo nas nossas estimativas para os lucros entre 2% e 4%." Este impacto varia entre os 2%, no caso do BES e do BCP, e os 4%, no caso do Banif. A diferença entre estes dois valores é explicado pelo facto de o BES e o BCP terem grande parte do seu negócio no estrangeiro, o que faz com que o impacto na actividade em Portugal, que é de 4% para o BES e varia entre 3% a 4% para o BCP, seja compensando pelos resultados das suas operações no estrangeiro. Empresas de infraestruturas "muito expostas ao mercado nacional como a Brisa e a REN", vão sofrer um impacto bastante forte devido à subida do IRC. Subida esta que irá afectar também as contas das construtoras Mota-Engil, Soares da Costa e Teixeira Duarte, no entanto esta não é a única preocupação para os accionistas destas empresas, dado que o congelamento das obras públicas também irá prejudicar as contas destas empresas. "Nas empresas de telecomunicações, a Zon e a Sonaecom serão as empresas que irão sofrer o maior impacto devido à sua exposição quase exclusiva a Portugal." A Portugal Telecom obtém uma elevada percentagem do seu lucro em outros países, o que faz com que o impacto destas alterações seja inferior para a PT em comparação com as suas concorrentes.