Siga-nos

Perfil

Economia

Ações

Acções das SAD: Um penalty contra a sua carteira

As acções das Sociedades Anónimas Desportivas (SAD) acompanharam a classificação dos respectivos clubes na Liga Sagres mas, apesar dos "golos", os accionistas continuam "fora de jogo".

Jorge Pires (www.expresso.pt)

No campo, os clubes até mostram resultados mas quando chega à altura de prestar contas, os accionistas só encaixam autogolos. Desde o início da época desportiva, em Julho de 2009, o índice que engloba as 24 Sociedades Anónimas Desportivas (SAD) europeias, o Stoxx Football, perdeu 1,36%, enquanto o índice que reúne as 50 maiores empresas cotadas da Europa, o Euro Stoxx 50, ganhou 18,5%. Por cá, os títulos do Benfica SAD até registaram uma valorização expressiva, devido à vitória do clube no campeonato, mas as contas continuam dependentes dos resultados extraordinários como a venda de jogadores e a participação na milionária Liga dos Campeões.

Acções seguem resultados desportivos

Entre as SAD nacionais, a do Benfica foi a campeã. Desde o início da época, os títulos da SAD encarnada valorizaram 61%. Foi o segundo melhor desempenho entre os membros do índice Stoxx Football. No entanto, quem misturou emoção com razão aquando da dispersão do capital em bolsa, em Maio de 2007, ainda não tem motivos para festejar. Desde que iniciaram a cotação na Euronext Lisbon, as acções da SAD benfiquista acumulam uma perda efectiva de 50% sustentada nos fracos resultados registados pela SAD que, tal como as congéneres, mantém a dependência crónica dos resultados extraordinários obtidos com a venda de jogadores.O último empréstimo obrigacionista de 40 milhões de euros realizado pela SAD é um espelho disso mesmo. "Destina-se ao financiamento da actividade corrente, permitindo à Sociedade consolidar passivo num prazo mais alargado e proceder ao refinanciamento de operações que se irão vencer, nomeadamente do Empréstimo Obrigacionista 'BENFICA SAD 2010' que será reembolsado no dia 20 de Abril de 2010". Ou seja, para fazer face às despesas correntes e pagar uma dívida antiga, a SAD recorreu a mais dívida.

Pior desempenho tiveram as acções das SAD rivais. As acções da SAD portista resvalaram 25% ao longo da época, espelhando desta forma a preocupação dos investidores com a situação económica da sociedade que na próxima época não poderá contar com os milhões de euros da presença na Liga dos Campeões. Recorde-se que, na época 2008/2009, exercício no qual a SAD lucrou 5,1 milhões de euros, a presença nas competições da UEFA contribuiu com 16,2 milhões de euros para os resultados.

Para os lados de Alvalade, a época também não foi a melhor. Na bolsa, as acções da SAD sportinguista perderam 4%, um número coincidente com a posição na qual o clube leonino terminou o campeonato, após uma época conturbada. Mas a surpresa, tanto na bolsa como no campo, veio do Minho. Desde o início até ao final da época, as acções da SAD bracarense valorizaram 42%, obtendo assim o segundo melhor desempenho entre as SAD nacionais. Ainda assim, desde a oferta pública de subscrição em 2004, os títulos da SAD bracarense acumulam uma perda de 88,6%.

Fraca liquidez Na bolsa, as SAD transaccionam tantas acções num mês quanto a Portugal Telecom em escassos minutos. Risco desportivo Além dos resultados financeiros, as SAD dependem dos resultados desportivos, principalmente da participação na milionária Liga do Campeões. Volatilidade elevada O nervosismo dos adeptos nos jogos é semelhante ao dos títulos das SAD na bolsa. As acções das SAD estão entre os mais voláteis da praça nacional.