Siga-nos

Perfil

Economia

Ações

5 acções à prova de insónias

5 acções à prova de insónias

Uma mão cheia de grandes e boas empresas a preços de saldo

Luís Leitão

Existem dois tipos de investidores: os emotivos, que quando vêm a cotação das suas acções cair correm ao mercado a dar ordens de venda, e os racionais, que acreditam que quando o preço dos títulos sofre correcções, é a altura ideal para reforçar as suas posições. Mas no período conturbado como o que se vive actualmente, em que as quedas e as recuperações das acções ocorrem a pique, não é fácil para a maioria dos investidores tomar um dos partidos.

Ninguém se atreve a dizer quando esta crise, que assaltou de rompante os mercados há mais de um ano, chegará ao fim. No entanto, basta olhar para os principais índices bolsistas para se vislumbrar grandes oportunidades negócio para o longo prazo. São os exemplos da Procter & Gamble e da BP, que face às suas posições de líderes nos sectores em que operam e a uma estrutura organizacional sólida apresentam riscos de sustentabilidade bem inferiores à dos seus pares. No entanto, não se pense que estas são apostas certeiras para se ganhar dinheiro a 3 e a 6 meses. São investimentos para que a médio, longo prazo venham a dar frutos: "Na pior das hipóteses, os investidores sempre poderão fechar as acções num bau e só o abrirem passado 5 anos. Nessa altura, ficarão felizes com a decisão tomada no presente", revelou Andrew Lynch, responsável da Schroders pelos mercados europeus. A regra para encontrar acções contra insónias é só uma: quanto maior melhor.

5 acções para dormir descansado

Porque em "tempo de guerra não se limpam armas"
meta debaixo de olhos estas grandes companhias

Empresa Sector Bolsa
British American Tobacco Tabaco Londres
BP Petrolífero Londres
GDF Suez Energia e água Paris
Johnson & Johnson Saúde Nova Iorque
Procter & Gamble Cosméticos Nova Iorque