Siga-nos

Perfil

Economia

Bolsa e Mercados

Bolsas europeias fecham no vermelho

Apesar de terem estado a negociar no verde de manhã, as bolsas europeias inverteram a tendência fecharam negativas.

Sara Fonseca (www.expresso.pt)

O dia hoje foi de sentimento misto para as principais praças europeias. De manhã estiveram a negociar em alta, com ganhos ligeiros, na expectativa do discurso de Jean-Claude Trichet, na reunião do BCE em Lisboa. A banca foi quem mais valorizou, seguida da Galp e das Renováveis.

Apesar do BCE ter mantido pelo 13º mês consecutivo inalterada a taxa de juro em 1% e de ter referido que Portugal e Grécia não estão no mesmo barco, as bolsas inverteram para vermelho, com os receios e incertezas dos investores a emergirem de novo.

O PSI-20 fechou 2,37%, a negociar abaixo dos 7000 pontos, com 18 cotadas a desvalorizarem. O sector da banca voltou a ser alvo de receios e o BCP terminou o dia a perder 5% e o BES 6%.O BPI desvalorizou 3,5%.

Galp encerra negativa

A Galp, que apresentou hoje nos resultados trimestrais uma subida de 31,6% nos lucros para os 65 milhões de euros, esteve a valorizar 1,5% mas fechou a perder 3,5%.

Também a Portugal Telecom, que anunciou hoje uma quebra de de 39% nos lucros, causada por impostos e amortizações, mas ainda assim com resultados líquidos de 100,3 milhões de euros, acabou o dia a desvalorizar 3%.

As praças europeias tiveram um comportamento semelhante, com as principais bolsas a fecharem no vermelho, excepção feita à Grécia.

Wall Street abriu ingualmente negativa, ainda contagiada com os receios europeus.