Siga-nos

Perfil

Economia

Seguros

Poupe mais de 500 euros no seguro automóvel

A Deco Proteste analisou 10 apólices e prémios para 56 cenários diferentes. Com a escolha certa, consegue-se poupar mais de 500 euros por ano.

Ana Pimentel (www.expresso.pt)

Allianz, Ocidental, OK! Teleseguros e Seguro Directo são as Escolhas Acertadas da Deco Proteste para condutores experientes, sem acidentes. Porquê? Porque segundo a associação de consumidores apresentam os melhores preços para o seguro obrigatório automóvel e para o pacote com danos próprios. Os associados da Deco têm outra opção: o protocolo da associação com a OK! Teleseguros. Caso tenha participado um sinistro no ano anterior, a Allianz, Liberty, Mapfre e Seguro Directo são, regra geral, melhores opções. Já as Escolhas Acertadas para condutores jovens são os produtos da OK! Teleseguros e da Seguro Directo.

A Deco analisou 48 cenários diferentes e teve em conta vários factores: 2 veículos mais vendidos em 2009 (Ford Fiesta 1.25 Titanium 5p, 1242 cc, 82 cv e Volkswagem Golf 2.0 TDi VI Confortline 5p, 1968 cc, 140 cv) nas cilindradas até 1500 cc e superiores, duas zonas de circulação (risco agravado e reduzido) e dois níveis de bonificação (apólice bonificada após 5 anos consecutivos sem sinistros e apólice agravada por um sinistro participado na anuidade anterior). Os veículos eram novos, com 3 e 5 anos e foram considerados 2 níveis de cobertura. Os condutores experientes poupam até 530 euros com as Escolhas Acertadas da Deco e os jovens poupam 660 euros ou mais de mil, se forem seus associados.

O seu perfil

Os dados do Instituto de Seguros de Portugal não enganam: em 2008, havia cerca de 6 milhões de apólices de seguros automóvel activas em Portugal. A oferta é diversificada, mas a apólice é uniforme, pelo que o factor de diferenciação é o preço.

Escolha o cenário que mais se aproxima do seu e contacte as seguradoras indicadas para obter uma simulação. Não se esqueça de considerar o veículo, ano de matrícula, risco da cidade onde reside, bonificação ou agravamento da apólice e pacote de coberturas. Outro pormenor importante: faça uma visita aos mediadores, pois pode conseguir descontos de 20 a 25% face à contratação em balcão.

Quem conduz um carro antigo, com valor comercial baixo, deve contratar um pacote simples: cobertura de responsabilidade civil e assistência em viagem. A primeira é obrigatória e tem um capital mínimo de 750 mil euros para danos materiais e 2,5 milhões para danos corporais. A Deco recomenda a contratação de assistência em viagem, porque tem um custo anual reduzido e proporciona um leque abrangente de garantias, em caso de acidente, avaria ou doença no estrangeiro.

Carros novos ou com valor comercial significativo devem ter um pacote mais abrangente, com danos próprios. Este integra 3 coberturas que garantem uma indemnização pelos danos causados por colisão, roubo ou incêndio, caso não haja um terceiro responsável.

A Deco aconselha a contratar apenas as coberturas que fazem falta, apesar de existirem várias opções, como a de ocupantes, fenómenos naturais e vandalismo. A primeira é a única que garante uma indemnização ao condutor se este sofrer danos num acidente da sua responsabilidade. A maioria das apólices de danos próprios prevê uma franquia de 2% do capital. Se quiser, pode aumentá-la para reduzir o prémio, mas receberá menos em caso de sinistro.

O valor dos prémios depende de vários factores, como a classe de cilindrada, veículo, capital seguro, entre outros. As características do condutor e a zona de residência também influenciam. Se este tiver menos de 25 anos e carta de condução há menos de 2, o prémio agrava-se. Piora, se morar em Lisboa ou no Porto, zonas consideradas de risco agravado, relacionadas com estatísticas de sinistralidade. Algumas companhias também cobram preços mais reduzidos às mulheres, porque, segundo as estatísticas, em caso de acidente, causam menos estragos do que os condutores do sexo masculino. Nas seguradoras telefónicas, se o carro pernoitar na rua, paga mais.

Caso queira comprar carro em leasing, é provável que a locadora exija um pacote de seguro com danos próprios, fenómenos da natureza e riscos sociais e políticos. Outras pedem ainda a cobertura de ocupantes, protecção jurídica e quebra isolada de vidros. As locadoras podem já ter protocolos com as seguradoras, mas é livre de contratar a apólice onde quiser. Regra geral, estes pacotes são mais caros do que as Escolhas Acertadas da associação. Contrate o pacote mínimo de coberturas exigido.

Furto ou roubo: condições idênticas nas seguradoras. Maioria só indemniza 60 dias após participar o desaparecimento do veículo se este não aparecer. Melhor classificação: Generali - indemniza ao fim de 15 dias. Assistência em viagem: na assistência às pessoas, compararam os limites para despesas médicas, prolongamento da estadia e adiantamento de fundos. Na assistência ao veículo, avaliaram o capital máximo para reboque, limites para estadia a aguardar reparação e indemnização para aluguer. Melhor classificação: Liberty - coberturas mais abrangentes. Franquias: a maioria das apólices de danos próprios impõe uma franquia mínima obrigatória de 2% do capital seguro. Para um veículo de 20 mil euros, a seguradora só paga a partir de 400 euros. Se os danos ascenderem a 1000, o segurado paga os primeiros 400 e a seguradora os restantes 600. Pode escolher franquias superiores às obrigatórias. Melhor classificação: Mapfre - só aplica a choque, colisão e capotamento. Exclusões: A Deco penalizou todas as apólices cm exclusões lesivas, como danos por guerra ou revolução ou participação em actividades que ponham em risco a estabilidade e domínio do veículo. Melhor classificação: protocolo - tem menos exclusões.