Siga-nos

Perfil

Economia

Família

4 dicas para comprar usado

4 dicas para comprar usado

Para não comprar gato por lebre tome nota do que deve fazer quando comprar um carro usado

Luís Leitão

A compra de automóvel é um dos piores negócios que pode fazer: mal as quatro rodas tocam no alcatrão o seu "investimento" sofre uma desvalorização imediata de 20 por cento, e ao fim de 2 anos, já perdeu 40 por cento do valor comercial. É nesta altura que os futuros condutores devem fazer contas ao dinheiro e começar a ponderar em comprar um carro usado. Não terá certamente o mesmo cheiro a novo, mas poderá custar metade do preço. Mas atenção: para que não acabe a comprar "banha de cobra" siga à risca 4 simples conselhos que poderá colocar facilmente em prática.

  • Olho de lince

    Faça uma análise meticulosa do veículo. Da pintura ao motor, das jantes ao interior tudo deve ser analisado ao pormenor. O mercado de usados é rico em informação assimétrica: o vendedor conhece os defeitos do carro, mas o comprador desconhece o passado do veículo. Se não estiver à vontade com questões mecânicas, leve consigo familiares e amigos que possam avaliar mais correctamente o automóvel. Negoceie com o vendedor levar o carro a um mecânico da sua confiança ou até oficinas especializadas que se comprometam a inspeccionar os órgãos vitais do veículo.

  • Compre no Verão ou no Natal

    A crise económica tem deixado muitos stands literalmente às moscas. Para evitar que a situação se agrave muitos vendedores têm baixado os preços todavia, existem duas épocas do ano que os compradores conseguem comprar o carro novo a "preço de amigo": no Natal e no Verão. Se durante a época natalícia, geralmente os vendedores tendem a praticar promoções com o objectivo de venderem mais para conseguirem fechar o ano com os objectivos cumpridos, já no Verão, a época de saldos no sector automóvel ocorre em detrimento da renovação das frotas das marcas.

  • Pegue no volante

    Depois de ficar convencido com o que viu do lado de fora, está na hora de se sentar no lugar do condutor. Faça um test-drive. Se possível faça-o sozinho, sem a companhia do vendedor. Conduza por diferentes pisos e teste os travões e a direcção. No entanto, se o vendedor fizer questão de o acompanhar, evite falar sobre o preço e a sua condição financeira durante a viagem: tudo o que disser poderá ser usado contra si na negociação do preço final.

  • Cor do dinheiro

    Chegando à hora de puxar do cheque é também a altura de soltar a veia de negociador que há em si. Lembre-se que parte do vencimento do vendedor depende das vendas conseguidas e que, para ele, será melhor abdicar de algum ganho do que não vender. O preço proposto inclui a margem do stand (intocável) e a comissão do vendedor, que pode ser explorada. Comece por sublinhar os pontos negativos do carro e demonstre que poderá ter de gastar dinheiro a melhorar alguns deles. Não entre em lamurias mas mostre que tem todo o interesse em fazer negócio desde que o preço fique mais "convidativo".