Siga-nos

Perfil

Economia

Carreira

Cinco dicas para conseguir um salário melhor

O mercado de trabalho não está de feição, mas quando o colaborador tem valor, tem sempre margem de manobra. Conheça cinco dicas para conseguir o salário que tanto quer e precisa.

Ana Pimentel (www.expresso.pt)

As condições actuais do mercado de trabalho podem ter tirado poder de negociação aos candidatos a emprego, mas isso não significa que estes devam aceitar, sem hesitar, as condições impostas pela entidade empregadora. Se quer ter a melhor compensação possível para o seu trabalho, então, pesquise, negoceie, seja sincero. Siga estas dicas.

Pesquise a concorrência

Procure saber quanto recebem os seus colegas de profissão noutras empresas, assim como os seus colegas de trabalho. Antes, esta pesquisa era mais difícil de concretizar, mas hoje, as empresas têm tentado abrir a sua "caixa negra" ao público, segundo Rabia de Lande Long, managing director da consultora Chartwell Advisors, em declarações ao The Wall Street Journal. O PayScale é um dos sítios que pode utilizar para saber qual o salário médio praticado na sua profissão, cargo, experiência e cidade/país.

Tenha cautela

Na fase de recrutamento para um novo emprego, é natural que lhe perguntem quais os seus requisitos salariais ou que ordenado espera receber. Não especifique no formulário de candidatura qual o salário ideal para si. Segundo Rabia de Lande Long, se a sua resposta for demasiado elevada, pode não passar à fase seguinte. Se, por outro lado, indicar um valor muito baixo, o empregador pode pensar que não se encontra devidamente qualificado ou que está desesperado.

Na fase de entrevista, podem pressioná-lo a dizer quanto ganha na sua função atual. Se isso acontecer, tente dizer que recebe a "compensação total". Muitos dos grandes empregadores disponibilizam esta informação no website interno dos recursos humanos da empresa. Se a sua entidade empregadora não fizer isso, indique o seu salário, benefícios, prémios e tudo o que lhe disponibilizam. Caso a nova companhia não lhe ofereça benefícios idênticos, o gestor dos recursos humanos sabe que o seu novo salário terá de refletir o que indicou. Se ainda assim o pressionarem a indicar um valor salarial, saiba que a quantia mais baixa que indicar deverá ser o mínimo com o qual ficaria feliz e a mais elevada deverá ser aquela que o fará verdadeiramente feliz.

Evite mentir

"É muito fácil verificar um salário junto dos Recursos Humanos, mesmo que tal não seja suposto", diz Rabia de Lande Long. Mesmo que indique um salário falso na fase inicial da candidatura, este valor pode vir a ser descoberto durante uma verificação dos antecedentes, podendo retrair a oferta ou aborrecer as chefias. "Desta forma, pode ter problemas em negociar seja o que for com os seus superiores bem como com toda a gente que trabalhe na sua empresa. As notícias espalham-se depressa", acrescenta.

Negoceie a primeira oferta

A maioria das entidades empregadoras espera receber candidatos que queiram negociar. Por isso, deixam espaço para subidas quando lançam o primeiro valor. Se possível, tente ter este confronto com quem o vai contratar em vez de o ter com alguém dos Recursos Humanos. É possível que o responsável pela contratação seja mais flexível. Nestes casos, o candidato deve dizer que fica muito lisonjeado pela oferta e que gostaria de ingressar a equipa, mas que existem alguns itens específicos que gostaria de acordar com o responsável. Apesar da pressão que existe sobre os salários em época de crise, uma boa solução é pedir um aumento de 10%, segundo Rabia de Lande Long.

Capriche nos benefícios

"Apesar do que possa ter ouvido, muitos dos pacotes de benefícios não são flexíveis", diz Rabia de Lande Long. Por isso, é provável que seja difícil modificar o plano de saúde. A possibilidade de obter mais dias férias depende da vontade da entidade empregadora. O seu futuro chefe pode hesitar em dar-lhe mais dias se isso fizer com que os outros colaboradores se sintam injustiçados. Por isso, pense em coisas que sejam fáceis de providenciar, como um dia de teletrabalho por semana, se isso já tiver sido negociado no passado. Se mesmo assim considerar que o seu pacote de benefícios é fraco, pergunte se pode ser revisto passado 6 meses. Dessa forma, poderá mostrar-lhes que merece o dinheiro.