Siga-nos

Perfil

Economia

Produtos financeiros

Vale a pena trocar os Certificados de Aforro por Certificados do Tesouro?

Os recém-criados Certificados do Tesouro estão a convencer os pequenos investidores em detrimento dos Certificados de Aforro. Saiba se compensa trocar.

Luís Caleira Marques (www.expresso.pt)

Pode ser coincidência, mas segundo dados do Instituto de Gestão da Tesouraria e do Crédito Público (IGCP), os portugueses estão a trocar os Certificados do Tesouro (CT) pelos Certificados de Aforro (CA). Estes dois produtos têm várias semelhanças entre si, mas também possuem diferenças que influenciam a decisão do investidor em optar por um dos certificados.

Semelhanças e diferenças

Como semelhanças têm o prazo de 10 anos do produto, o facto do valor nominal ser de 1€ e o facto de a sua transferência apenas ser possível em caso de óbito do subscritor, para além de serem os dois instrumentos criados pelo governo e baseados em dívida pública, de modo a incentivar as famílias à poupança.

As principais diferenças dizem respeito ao modo de cálculo das taxas de juro, que nos Certificados do Tesouro são fixadas na data de subscrição dos certificados enquanto a taxa de juro dos Certificados de Aforro é calculada mensalmente, segundo a evolução da taxa Euribor a 3 meses.

No que diz respeito ao pagamento dos juros, nos CT os mesmos são creditados anualmente na conta do investidor. Já nos CA, os juros são capitalizados até ao final do período do investimento. Uma outra diferença diz respeito ao valor mínimo de subscrição que nos CT é de 1000€ enquanto nos CA, bastam 100€ para começar a aforrar.

Deste modo, quem investir em CT verá ser creditado na sua conta anualmente um determinado montante de juros, valor que poderá aproveitar para consumo ou para investir noutro produto. No entanto, para receber, nos primeiros quatro anos, um valor de juros que lhe permita subscrever novos certificados do tesouro, o investidor teria que subscrever inicialmente 90992€.

O segredo está no prazo

Tendo por base o simulador e a forma de cálculo presentes no site do Instituto de Gestão da Tesouraria e do Crédito Público (IGCP), verifica-se que os novos certificados são mais vantajosos na maior parte dos prazos, com a exceção de um investimento entre 3 e 4 anos. No caso do investimento de 5000€ durar os 10 anos previstos, os CT rendem mais 1200€ que os CA.

Como a taxa de juro dos CA é variável, um investidor poderá ficar na dúvida se, com o aumento da taxa de juro, não compensará mais uma aplicação em CA. No entanto, para que este investimento seja mais vantajoso que os CT, a taxa de juro calculada pelo IGCP teria que ser de 3,44%, o que implicaria que a taxa Euribor a 3 meses ascendesse a 3.75%.

CA só batem CT em aplicações a 3 ou 4 anos

Fonte IGCP. Valores em euros. Rendibilidades anualizadas líquidas de impostos.