Siga-nos

Perfil

Economia

Produtos financeiros

Não troque de certificados de aforro

Não troque de certificados de aforro

Só compensa trocar de certificados da série B pelos novos da série C se tiver realizado a subscrição há menos de 1 ano

David Almas

A imprensa noticiou que a Deco - Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor aconselha a vender os certificados de aforro com menos de 3 anos, trocando-os pela nova série C ou procurando alternativas junto da banca. Espere!

Assumindo as taxas-base a aplicar em Fevereiro para a nova série C (3,488 por cento) e para a série B (2,603 por cento, mais uma informação em primeira mão da Carteira), só deve ponderar trocar os certificados se tiver realizado a subscrição há menos de 1 ano. Por exemplo, um aforrador que tenha subscrito certificados em Novembro de 2006 que em Fevereiro valham 1000 euros tem 2 opções: mantém-nos e espera acumular 1417,20 euros nos próximos 10 anos (o equivalente a ganhar 3,55 por cento por ano) ou resgata-os e subscreve 1000 euros dos novos, esperando capitalizar 1415,51 euros (3,54 por cento por ano). Não há dúvidas que não deve trocar certificados subscritos antes de Fevereiro de 2007.

Mesmo os certificados de aforro comprados depois de Fevereiro de 2007 podem ser mantidos na carteira se planear guardá-los durante mais de uma década a capitalizar a uma taxa muito elevada (soma da taxa-base mais 2 por cento, o que dá em Fevereiro 4,603 por cento), já que a nova série C tem a duração máxima de 10 anos.