Siga-nos

Perfil

Economia

Créditos

Crédito à habitação já está mais caro

O banco BPI é o primeiro a aumentar o spread nos créditos à habitação depois do corte de rating da Standard & Poor's. As subidas nos spreads podem significar milhares de euros a mais para quem vai comprar casa. Clique para visitar o canal Dinheiro

Nuno Alexandre Silva (www.expresso.pt)

Para quem for hoje pedir um empréstimo para habitação no banco BPI já não vai encontrar spreads entre os 1% e os 2,45%. O banco é o primeiro a subir os spreads nos novos contratos para um intervalo entre os 1,25% e os 3,35%, depois da agência de rating Standard & Poor's ter cortado a sua nota de risco. Na prática, para quem já tivesse um empréstimo a 30 anos, no montante de 150 mil euros com um spread de 1% e que renovasse a prestação com a média da Euribor a 6 meses de Abril pagaria cerca de 551 euros na próxima vez que tivesse de pagar a mensalidade ao banco. Agora, mesmo se alguém conseguisse o spread mínimo do banco não iria pagar menos de 569 euros, num crédito nas mesmas condições.

A diferença de um spread no empréstimo reflecte-se no montante total que o mutuário paga ao longo dos anos de contrato de crédito. Para o mesmo exemplo de crédito acima enunciado (montante de 150 mil euros, indexado a Euribor a 6 meses com a média de Abril, a 30 anos) pagar um spread de 1% ou de 2% pode significar pagar mais ou menos 28 mil euros.