Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Desemprego: Inscritos no IEFP caíram 1,8%

O número de desempregados inscritos nos centros de emprego em Portugal desceu 1,8% em maio, a maior descida dos últimos três anos.

Os desempregados inscritos nos centros de emprego em Portugal desceram 1,8% em Maio, a maior descida dos últimos três anos. O número de desempregados inscritos nos centros de emprego em Portugal desceu 1,8% em maio face ao mês anterior, para 560.751, e aumentou 14,6% face a maio do ano passado.     De acordo com o Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP), "esta é a maior descida, em valor absoluto, e em cadeia, nos últimos 37 meses".     Os dados mensais do IEFP mostram que a descida verificada em maio corresponde a menos 10.017 incritos nos centros de emprego.  

Desemprego recua em todas as regiões 

O aumento verificado em relação ao mesmo mês do ano passado corresponde a mais 71.636 desempregados inscritos.     Este aumento homólogo teve lugar em todas as regiões do país, destacando-se as oscilações mais significativas no Algarve (com mais 31,8%) e na região autónoma dos Açores (com mais 24,8%) e na região autónoma da Madeira (com mais 23,8%).     Face a abril, o desemprego desceu em todas as regiões do país.     O aumento do desemprego registado em maio face ao mesmo mês do ano passado verificou-se em ambos os géneros, com uma variação de 16,8%s homens e de 12,8% nas mulheres.     Os dados hoje divulgados pelo Instituto do Emprego e Formação Profissional mostram também que o desemprego aumentou em todos os grupos profissionais, com exceção dos profissionais de nível intermédio do ensino, mecânicos de precisão, oleiros, vidreiros, artes gráficas, operadores de máquinas e trabalhadores de montagem. 

Trabalhadores não qualificados estão no topo 

Entre os grupos profissionais que colocaram mais trabalhadores no desemprego no mês passado estão os trabalhadores não qualificados dos serviços e comércio, o pessoal dos serviços de protecção e segurança, os empregados de escritório, os trabalhadores não qualificados das minas, construção civil e indústrias transformadoras e os operários e trabalhadores similares da indústria extrativa e construção civil.     Estes grupos representam, no conjunto, mais de metade (52,9%) dos desempregados inscritos no final de maio.      Os dados revelam ainda que se inscreveram, em maio, nos centros de emprego 48.101 desempregados, um número que é 10,7% inferior ao verificado no mês anterior e que representa um decréscimo de 7,3% quando comparado com o do mês homólogo de 2009.     O número de colocações de desempregados pelos centros de emprego ao longo de maio totalizou 7.336, valor superior em 31% ao do mês homólogo de 2009, e superior em 16,2% em relação ao mês anterior.          *** Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico ***

Clique para ler a Nota da Direcção do Expresso sobre o novo Acordo Ortográfico.