Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Défice de 2012 fixou-se em 6,4%

O défice português situou-se nos 6,4% em 2012, abaixo do valor estimado pelo Governo.

O défice orçamental do ano passado terá ficado nos 6,4% do Produto Interno Bruto (PIB), anunciou hoje o Instituto Nacional de Estatística (INE), na primeira notificação ao abrigo do Procedimento dos Défices Excessivos enviada a Bruxelas.

O valor inclui a anulação da receita da venda de concessão da ANA, e outros ajustamentos como a compra de ações ordinárias da Caixa Geral de Depósitos na operação para aumentar o seu capital, mais 750 milhões de euros, e ainda a transformação em  suprimentos da Parpública, também com um impacto de 750 milhões de euros.

O ministro das Finanças, Vítor Gaspar, anunciou a 15 de março que esperava que o défice em contabilidade nacional apurado pelas entidades estatísticas fura-se a meta dos 5% deste ano (apesar de nas contas da troika ter ficado dentro do limite) e que este podia chegar aos 6,6%.

Dívida pública subiu quase 20 mil milhões de euros

Já a dívida pública terá atingido os 123,6% do PIB em 2012, um aumento de quase 20 mil milhões de euros num só ano, e fica acima da estimativa do Governo e da troika, que tem menos de duas semanas.

De acordo com os dados hoje divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística, a dívida pública terá aumentado 15,3 pontos percentuais do Produto Interno Bruto (PIB) face ao registado em 2011 (ambos os valores são provisórios), o que em termos de rácio  está influenciado por uma forte queda no valor que serve de base a este cálculo, o do PIB nominal.

Em termos nominais, a dívida pública aumentou mais de 19,2 mil milhões de euros de 2011 para 2012, passando de 185.240,7 milhões de euros para 204.485 milhões de euros, o que representa também a primeira vez que o valor absoluto da dívida supera os 200  mil milhões de euros no final de um ano.