Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Construção:Empresários alarmados com quebra nas adjudicações

A FEPICOP adverte para os efeitos na saúde das empresas da queda de 50% nas adjudicações de obras públicas. O desemprego na construção vale 15% do total nacional.

Abílio Ferreira (www.expresso.pt)

A contenção do investimento público como instrumento para reduzir o défice está a fustigar duramente a actividade de construção. Segundo a FEPICOP, a federação das associações patronais do sector, as adjudicações do sector público caíram, até ao fim de Abril, 55% em valor e 50% em número.

Na sua análise de conjuntura, a Federação revela que a produção do segmento de engenharia regista este ano uma queda superior a 20%. A  redução "aproxima-se do registado pelo segmento da habitação, o mais penalizado pela crise. A FEPICOP acentua que "o profundo abalo sofrido pelo sistema financeiro mundial e a grave crise de confiança que se instalou, conduziram a um decréscimo ímpar nos níveis de procura de habitação". O mercado de edifícios não residenciais apresenta também quebras da produção, embora menos acentuadas. Os investimentos ainda em curso no Parque Escolar dão algum oxigénio às construtoras.

A Federação considera natural que o desemprego dispare: são já 77 mil. Este número representa 15% dos inscritos nos centros de emprego e traduz uma subida homóloga de 39%. Os índices de confiança dos empresários estão nos níveis mais baixos desta década. No primeiro quadrimestre de 2010 "verificam-se fortes quebras de actividade em todos os segmentos"; variando entre a queda de 21% na engenharia civil e 10% nos edifícios não residenciais.