Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Brisa pode trocar Brasil pela Índia

encaixe de 1200 milhões de euros, realizado após a venda da participação na CCR, poderá financiar a entrada da Brisa na Índia.

Alexandre Coutinho (www.expresso.pt)

A Brisa - Auto Estradas de Portugal decidiu retirar-se do Brasil, ao anunciar a venda da sua participação na Companhia de Concessões Rodoviárias (CCR), detentora de sete concessões, com um total de 1571 quilómetros. "A decisão da Brisa surpreende, porque não estávamos à espera, dada a boa performance da CCR", comentou um analista do mercado que, no entanto, minimiza a importância da operação: "não é nada de especial. Como qualquer equity stake (participação patrimonial) é possível de ser vendida. Faz algum sentido, dado que a Brisa não conseguiu aumentar a sua participação na CCR", acrescentou.

Encaixe de 1200 milhões

Relativamente a esta operação, Vasco de Mello, presidente da Brisa, explica em comunicado que "a empresa decidiu vender a sua participação na CCR uma vez que o seu valor de crescimento não estava a ser refletido, nem no valor da cotação da Brisa, nem nos relatórios de research, pelo que a opção era aumentar a posição ou vender. A Brisa teve a oportunidade de vender, o que permitirá a concretização muito significativa de valor", frisa.

Na sequência desta decisão, a Brisa alienará 6% do capital da CCR e participações relacionadas aos acionistas controladores. Os restantes 10,35% serão alienados através de colocação privada (private placement), desenvolvida nas próximas semanas. O encaixe financeiro de ambas as operações é estimado em cerca de 1200 milhões de euros. De acordo com o comunicado da Brisa, este encaixe permitirá, simultaneamente, "uma redução da dívida líquida e a libertação de recursos para o apoio ao crescimento da empresa".

Brisa investe na Ásia

"Os resultados desta operação serão utilizados, não só, para fortalecer a posição financeira da empresa, mas também para financiar o seu crescimento futuro noutras geografias, replicando o modelo de criação de valor da CCR", revelou Vasco de Mello no citado comunicado. É sabido que a Brisa está a estudar uma possível entrada na Índia, no segundo semestre de 2010.Nos últimos anos, a Brisa tem vindo a apostar numa estratégia de internacionalização como forma de abertura de novas oportunidades de negócio. Além de seis concessões em Portugal, num total de 23 autoestradas (1705 kms), a empresa também opera nos Estados Unidos, onde detém a concessão da Northwest Parkway (22 kms na cintura de Denver); e gere sistemas eletrónicos de cobrança de portagens na Holanda e na Áustria.