Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Bolsa abre quase inalterada

A Euronext Lisboa abriu hoje quase inalterada, cedendo muito ligeiros 0,01 por cento para os 11.018,70 pontos.

A Euronext Lisboa abriu hoje quase inalterada, cedendo muito ligeiros 0,01 por cento para os 11.018,70 pontos. 

Na quinta-feira a bolsa portuguesa fechou em baixa, a perder 1,03 por cento para os 11.020,20 pontos. 

Cerca das 9h45, a Euronext Lisboa apresentava um acréscimo de 0,10 por cento, puxada pela Portugal Telecom, com o universo Sonae a liderar as subidas e apesar da EDP estar a descer mais de um por cento. 

O mercado nacional seguia a tendência das principais bolsas europeias, com a menor valorização, entre as subidas de 1,07 por cento de Frankfurt, 0,95 por cento de Milão, 0,72 por cento de Londres, 0,63 por cento de Paris e 0,62 por cento de Madrid. 

O índice Euronext 100 ganhava 0,50 por cento para 804,94 pontos, enquanto o DJ Stoxx 50 avançava 0,60 por cento para 3.291,03 pontos. 

Na Euronext Lisboa, onde a maioria dos títulos do PSI 20 negociava em alta, a sessão estava a ser dominada pela EDP, que era o título mais negociado, mas seguia em baixa de 1,12 por cento para 3,98 euros. 

A eléctrica nacional anunciou na quinta-feira que vai colocar em bolsa 25 por cento da EDP Renováveis, com o intervalo de preços fixado entre 7,40 euros e 8,90 euros por acção.

Os accionistas da EDP vão ter preferência na compra de acções da EDP Renováveis, revelou o presidente-executivo da empresa, afirmando ainda que a empresa só distribuirá dividendos em 2011, referentes ao exercício de 2010. 

A maior subida era a da Sonae SGPS, com um acréscimo de 2,80 por cento, para 1,10 euros, seguida da Sonae Indústria, em alta de 2,52 por cento, para 4,47 euros, e da Zon Multimedia que ganhava 2,05 por cento, para 7,96 euros. 

Ainda com uma valorização acima de um por cento estava o banco BPI, com mais 1,45 por cento, para 3,50 euros. 

Os restantes títulos cotados da área bancária apresentavam comportamentos diversos com o BES em alta de 0,29 por cento, para 12,22 euros e o BCP com a segunda mais elevada quebra, com menos 0,29 por cento, para 1,73 euros. 

O BCP assinou quinta-feira, em Luanda, acordos de parceria estratégica com a Sonangol, que incluem a cedência de 49,9 por cento do Millennium Angola aos angolanos e consagra o princípio da representação da petrolífera angolana nos órgãos sociais do maior banco privado português.  

A Portugal Telecom estava em alta de 0,80 por cento, para 8,15 euros. 

No sector energético, a Galp Energia estava a subir 0,36 por cento, para 16,68 euros, mas a REN descia 0,14 por cento, para 3,52 euros. 

Nos títulos da construção o comportamento era positivo.