Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

BE acusa PS de querer "censurar verdades incontornáveis"

O PS insiste, contra factos e provas, numa história mal contada que o primeiro ministro e o Governo não sabiam do negócio PT/ TVI", afirmou o deputado do BE João Semedo. (Vídeo SIC no fim do texto)

O deputado do BE João Semedo acusou hoje o PS de querer "censurar verdades incontornáveis" e "devidamente provadas" na comissão de inquérito à atuação do Governo sobre a tentativa de compra da TVI. Em conferência de imprensa, o deputado, relator da comissão de inquérito, considerou que as propostas de alteração que o PS apresentou constituem "um contra relatório" com conclusões "que não encontram sustentação nem fundamento nos factos apurados". "Ao sugerir a eliminação de todas as conclusões da proposta de relatório final, o PS quer passar um lápis azul sobre os trabalhos da comissão. (...) O PS quer censurar, quer eliminar, quer apagar verdades incontornáveis e devidamente provadas", disse.

BE vota contra propostas do PS

Em conferência de imprensa no Parlamento, João Semedo disse que votará contra as propostas do PS e acusou o coordenador dos socialistas na comissão, Ricardo Rodrigues, de "pretender guardar no bolso o papel de Rui Pedro Soares nas duas tentativas, separadas por poucos meses, de aquisição da TVI". Como "verdades incontornáveis e devidamente provadas", Semedo destacou a "tentativa da Taguspark de adquirir a TVI/Media Capital" e "o papel proeminente de Rui Pedro Soares [ex-administrador da PT] nas duas tentativas de compra da TVI, pela PT e pela Taguspark". Semedo destacou ainda como "provadas" as "relações pessoais e partidárias existentes entre o primeiro ministro, Mário Lino, Armando Vara, Rui Pedro Soares e Paulo Penedos, todos amigos, todos do PS e todos relacionados com o negócio PS/TVI" e "as conversas que reconheceram ter tido entre eles".

"PS não quer factos, nem provas"

A tentativa de "afastar José Eduardo Moniz da direção editorial da TVI, através do convite para assessor e consultor da PT" e a "campanha pública desenvolvida pelo primeiro ministro e pelo PS contra a informação da TVI" são outras "verdades devidamente provadas" que o PS "quer censurar", acusou. "O PS não quer factos, nem provas. O PS insiste, contra factos e provas, numa história mal contada que o primeiro ministro e o governo não sabiam do negócio", disse. Por outro lado, registou, "em nenhuma das 35 páginas apresentadas pelo PS é dito, preto no branco, que o primeiro ministro e o governo não sabiam do negócio". O relatório proposto por João Semedo e as propostas de alteração do PCP e do PS vão ser discutidas e votadas sexta feira, numa reunião da comissão que começará cerca das 11:00. *** Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico***

Clique para ler a Nota da Direcção do Expresso sobre o novo Acordo Ortográfico.