Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Banco espanhol faz tremer Wall Street

Intervenção do Banco de Espanha na Cajasur tem impacto negativo na abertura da bolsa americana. Risco de default espanhol está em alta.

Jorge Nascimento Rodrigues (www.expresso.pt)

O anúncio de que o Banco de Espanha terá de injectar 500 milhões de euros, através do Fundo de Reestruturação Ordenada Bancária, num pequeno banco regional com sede em Córdoba, a Cajasur, fez tremer, segundo a Reuters, a abertura de Wall Street.

Também em termos do risco de default da dívida soberana espanhola está a verificar-se uma tendência altista. Segundo a CMA Datavision, a probabilidade de incumprimento de Espanha subiu para 16,6%, aproximando-se da irlandesa (em termos de comparação, a portuguesa está acima de 24%).

O Banco central espanhol teve de intervir este fim de semana na Cajasur (cujo nome de origem é Caja de Ahorros y Monte de Piedade, de Córdoba) depois de uma fusão com a Unicaja ter falhado.  No plano do banco central do país vizinho está uma meta de redução deste sector de caixas de 45 instituições para 15 ou 20, de modo a ficarem entidades com dimensão crítica, superior a 50 mil milhões de euros.

A Cajasur representa 0,6% dos activos do sistema financeiro espanhol, mas o medo de que se gere um contágio em toda a rede de bancos de poupança ligado à bolha espanhola, deixa os investidores internacionais nervosos. No período que se atravessa, mesmo aparentes pequenos "eventos" podem ter repercussão sistémica.

O Fundo de Reestruturação (conhecido pelo acrónimo FROB) foi criado em Junho do ano passado, quando o Banco de Espanha teve de intervir na Caja Castilla-la Mancha.