Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Banco de Portugal vai reforçar supervisão

O vice governador do Banco de Portugal anunciou que o organismo vai ter inspetores permanentes em oito bancos, reforçando a supervisão financeira.

O vice governador do Banco de Portugal, Pedro Duarte Neves, afirmou hoje que o objetivo do supervisor é ter equipas de inspetores em oito bancos, revelando que, atualmente, já há seis instituições financeiras com acompanhamento permanente.  

 

"Estão em curso seis ações deste tipo", revelou o responsável, acrescentando, mais tarde, que o objetivo do Banco de Portugal é ter equipas permanentes em oito bancos.  

 

Até hoje, a informação oficial disponibilizada pelo supervisor dava conta da existência de inspetores em permanência em quatro instituições financeiras.  

 

"A intenção é haver um reforço, quer no número de pessoas, quer de capacidades", assinalou Pedro Duarte Neves.  

 

Já Carlos Costa, o novo governador do Banco de Portugal, tinha dito, na cerimónia de tomada de posse, a 07 de junho, que dava prioridade ao reforço da supervisão.  

Mais supervisão financeira 

O responsável afirmou que "há que continuar a reforçar a acuidade e a qualidade da supervisão de cada uma das instituições que integram" o sistema financeiro português.  

 

Para tal, defendeu a necessidade de "prosseguir e reforçar a supervisão permanente das instituições financeiras, através das equipas já instaladas intramuros e da extensão deste processo às principais instituições do sistema".

    

Entre as principais tarefas do supervisor estará a avaliação das questões relacionadas com a assunção de risco e o controlo de estruturas complexas, como as operações de titularização e de re-titularização, e, também, a necessidade de garantir que os correspondentes riscos se encontram corretamente refletidos no balanço das instituições e cobertos por adequados fundos próprios.  

 

*** Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico ***