Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Aumento do desemprego mostra que modelo económico está esgotado

Pedro Mota Soares defende que "aumento do desemprego não gera crescimento nem empregos".

O líder parlamentar do CDS-PP, Pedro Mota Soares, considerou hoje que a subida do desemprego para 10,6% no primeiro trimestre mostra que "um modelo de crescimento económico assente em grandes obras públicas" não gera empregos.

"Uma taxa de desemprego de 10,6%, a mais alta da nossa história recente, demonstra que um modelo de crescimento económico assente acima de tudo em grandes obras públicas num grande endividamento do Estado, assente em muita despesa pública é um modelo que não gera nem crescimento económico nem gera empregos", afirmou.

Num comentário aos dados do Instituto Nacional de Estatística que estima que o desemprego atingiu os 10,6% no primeiro trimestre do ano, Pedro Mota Soares considerou que a situação vai piorar com a subida da carga fiscal "proposta pelo PS com o voto a favor do PSD".

"Se este modelo já não gera nem crescimento nem empregos imaginem agora a situação nacional com uma subida da carga fiscal sobre as famílias e sobre grande parte das empresas proposta pelo PS com o voto a favor do PSD", disse.

Desempregados jovens e imigrantes preocupam CDS

Mota Soares considerou "muito graves" os dados que mostram que "o desemprego dos jovens vai a caminho dos 25%" o que significa que "um em cada quatro jovens em Portugal não consegue encontrar um posto de trabalho no seu país e engrossam as fileiras do desemprego".

O líder da bancada do CDS-PP manifestou ainda preocupação com o desemprego dos imigrantes, afirmando que "muito provavelmente, com a atual taxa de desemprego, vai mais uma vez crescer".