Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Audiências da GfK são "válidas"

A Comissão de Análise de Estudos de Meios rejeitou por "unanimidade" a proposta da RTP e TVI de invervenção da auditora PwC na avaliação das audiências.  

A Comissão de Análise de Estudos de Meios (CAEM), que reúne televisões, anunciantes e agências de meios, anunciou hoje que a proposta da TVI e RTP de intervenção da PwC no processo de avaliação das audiências "foi rejeitada por unanimidade". 

Em comunicado, o organismo autorregulador divulga as conclusões da reunião de 22 de março da direção da CAEM, no âmbito do serviço de "Medição de Audiências de Televisão" contratado à GfK e no seguimento da aplicação do "Plano de Ação de Correção", estabelecido para resolução das exceções apontadas pela auditoria levada da cabo pela PwC, cujo prazo terminou a 28 de fevereiro.

Uma das deliberações tomadas foi a rejeição "por unanimidade das três secções  1/8operadores de televisão, anunciantes e agências de meios 3/8 da "proposta da TVI e RTP de intervenção da PwC no processo de avaliação do 'Plano de Ação de Correção' (PAC2012)". 

Além disso, "tendo em conta as posições das três secções", foi também deliberado "considerar cumprido, na generalidade, o Plano de Ação e Correção e considerar válido o painel apresentado pela GfK em 13 de março de 2013, pelo que irá proceder à aceitação expressa do serviço de medição de audiências de televisão da GfK". 

Também por "unanimidade das três secções", a direção deliberou "apresentar à GfK uma 'agenda de prioridades', na sequência da aceitação expressa do serviço de medição de audiências de televisão para implementação a curto e médio prazo, visando aspetos técnicos considerados chave para o reforço da qualidade do serviço" que mede as audiências. 

"Com as deliberações tomadas nesta reunião, conclui-se mais uma etapa do processo que se iniciou com o contrato para o fornecimento do serviço de medição de audiências de televisão, em Portugal, celebrado com a GfK em 18 de abril de 2011". 

A direção do organismo autorregulador disse ainda esperar que estas deliberações "venham contribuir para um passo decisivo na consolidação do serviço de medição de audiências de televisão e para a correspondente estabilização do mercado publicitário que utiliza como suporte este meio de comunicação social". 

A GfK Portugal foi a empresa que venceu o concurso para medição de audiências por um período de cinco anos. 

O início da mediação das audiências pela GfK sofreu alguns atrasos (deveria ter arrancado em janeiro de 2012, mas só começou a funcionar cerca de dois meses depois) e quando avançou foi alvo de críticas devido aos resultados das audiências, nomeadamente da RTP e da TVI.