Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

A reviravolta no mapa da finança mundial

No clube dos 30 maiores bancos do mundo em capitalização de mercado entraram novos protagonistas. As seis maiores potências bancárias contam agora com a China, Espanha e Austrália.

Jorge Nascimento Rodrigues (www.expresso.pt)

O mapa da finança mundial está irreconhecível para quem se tivesse fechado em casa no final de 2006 sem acesso a notícias de qualquer tipo ou por qualquer meio.

Os Estados Unidos e o Japão dominavam, então, os três primeiros lugares da banca mundial em capitalização de mercado, com o Citigroup, o Bank of America (BofA) e o Mitsubishi UFJ Financial Group.

Choque de final de ano



Ao aceder à Internet no final de 2009, depois do pânico financeiro de 2008 e da Grande Recessão de 2009, o suposto leitor sofre um choque: o Citigroup, o líder mundial, teve uma desvalorização na ordem dos 94% e saiu do clube dos 30 maiores bancos do mundo em capitalização, o BofA caiu de 2º para 10º e o grupo financeiro japonês de 3º para 16º.

Ao procurar identificar os ganhadores, o leitor verifica que para o clube dos 30 entraram 4 bancos australianos (National Australia Bank, Commonwealth Bank of Australia, Westpack Banking Group e Australia and New Zealand Banking), dois bancos chineses (China Construction Bank e Industrial and Commercial Bank of China), dois bancos brasileiros (Itau Unibanco Hondings e Banco do Brasil) e um sueco (Nordea Bank).

Verifica, depois, atónito, que o China Construction Bank acedeu directamente ao segundo lugar e o Industrial and Commercial Bank of China ao oitavo posto.

A nova geografia bancária

O mapa das seis principais potências bancárias do mundo sofreu uma reviravolta dentro do clube dos 30 maiores bancos, se olharmos para o estudo realizado por Luc Laeven e Fabian Valencia, publicado pelo Fundo Monetário Internacional na semana passada ("Resolution of Banking Crises: The Good, the Bad and the Ugly", Working Papers 10/146, Junho 2010).

Os Estados Unidos conservam ainda o primeiro lugar, dominando cerca de 21% da capitalização com cinco bancos, mas perderam 19 pontos percentuais em três anos. Segue-se o Reino Unido, que conseguiu navegar com êxito no meio deste tsunami financeiro, conservando três bancos (um deles o novo líder mundial, o HSBC) e aumentando o seu próprio peso no clube para cerca de 14%, mais um ponto percentual. A China é a primeira grande surpresa, passando directamente a dominar 12,2% da capitalização, envolvendo os dois bancos já referidos.

No seio da zona euro, a potência bancária emergente é a Espanha, com dois bancos (Banco Santander, em 4º lugar, e BBVA, em 9º no clube dos 30 maiores bancos) que detêm 9,5% da capitalização do clube. O nosso vizinho ocupa hoje o quarto lugar no clube e subiu 3 pontos percentuais na capitalização, tendo uma posição que é superior à de França, Itália e Alemanha. Em quinto lugar vêm ex-aequo a Austrália e a França com 8,8% cada da capitalização do grupo de 30 bancos. Mas a Austrália, com os seus quatro bancos já referidos, entrou directamente para o quinto lugar, um concorrente inesperado para a França.

Deste mapa das principais potências bancárias saiu o Japão (que passou de 3 bancos no clube dos 30 no final de 2006 para 1 no final de 2009) e a Holanda (que deixou de pertencer ao clube, com a falência do ABN Amro que era o 28º banco e a desvalorização do Fortis que era o 29º banco na lista mundial de finais de 2006).

Em relação aos fat cats de Wall Street verificamos que os ganhadores foram o JP Morgan Chase que subiu de 5º para 3º maior banco do mundo, o Wells Fargo que trepou de 8º para 5º e a Goldman Sachs que galgou de 18º para 7º.

Se a União Europeia (UE) for tomada como um todo, os seus 12 bancos no grupo dos 30 maiores somam 41,3% da capitalização, com o Reino Unido e Espanha como os dois principais centros bancários da UE.

Os cinco maiores bancos do mundo

- HSBC Holdings (Reino Unido) com cerca de 200 mil milhões de dólares de capitalização (88% do PIB português)

- China Construction Bank (China) com 193,2 mil milhões

- JPMorgan Chase (EUA) com cerca de 148,5 mil milhões

- Banco Santander (Espanha) com 136,9 mil milhões

- Wells Fargo & Co (EUA) com cerca de 112,3 mil milhões

As seis maiores potências bancárias

- Estados Unidos: 20,9% da capitalização do grupo de 30 maiores bancos do mundo, com 5 bancos (JPMorgan Chase; Wells Fargo & Co; Goldman Sachs; Bank of America; American Express)

- Reino Unido: 13,9%, com 3 bancos (HSBC Holdings; Standard Chartered; Barclays)

- China: 12,9%, com dois bancos (China Construction Bank e Industrial and Commercial Bank of China)

- Espanha: 9,5%, com dois bancos (Banco Santander e BBVA)

- Austrália: 8,8%, com quatro bancos (National Australia Bank, Commonwealth Bank of Australia, Westpack Banking Group e Australia and New Zealand Banking)

- França: 8,8%, com 3 bancos (BNP Paribas; Société Générale; Crédit Agricole)

Fonte: "Resolution of Banking Crises: The Good, the Bad and the Ugly", Working Papers 10/146, Junho 2010