Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Desemprego mantém-se nos 6,6% em novembro. Taxa está inalterada há três meses

tiago miranda

Estimativa provisória do Instituto Nacional de Estatística indica que a taxa de desemprego não sofreu alterações em novembro. Os 6,6% estimados pelo INE são o valor mais baixo desde setembro de 2002. Mas, a taxa não diminui há três meses consecutivos

A taxa de desemprego em Portugal terá ficado inalterada em novembro, nos 6,6%, indica a estimativa provisória do Instituto Nacional de Estatística (INE), divulgada esta terça-feira.

"Desde setembro de 2002 que não era observada uma taxa de desemprego tão baixa", aponta o INE, que reviu em baixa o valor de outubro dos 6,7% (estimativa provisória divulgada há um mês), para 6,6% (estimativa definitiva agora publicada).

Desta forma, novembro será o terceiro mês consecutivo em que a taxa de desemprego em Portugal, ajustada de sazonalidade, se mantém inalterada nos 6,6%, caso se confirme a estimativa provisória do INE para o penúltimo mês de 2018.

Uma evolução que sinaliza que o desemprego em Portugal pode estar muito perto, ou mesmo já abaixo, da chamada taxa 'natural', como apontam vários economistas. Esta taxa, que traduz o nível de desemprego associado ao funcionamento da economia em velocidade de cruzeiro, usando todos os seus recursos, é o limiar a partir do qual é muito mais difícil conseguir reduções adicionais do desemprego.

Segundo a estimativa provisória do INE, em novembro estavam desempregadas 343 mil pessoas, um número praticamente inalterado face a outubro. Já em termos homólogos, isto é, em relação a novembro de 2017, verificou-se uma redução de 17,8% (menos 74,2 mil pessoas).

Quanto à população empregada, ascendeu a 4,8294 milhões de pessoas em novembro, indica a estimativa provisória do INE. Desta forma, o emprego aumentou 0,2% (mais 7,3 mil pessoas) em termos líquidos face a outubro. Já em relação a novembro de 2017, o incremento foi de 1,6%, ou seja, mais 77,7 mil empregos.

Por fim, a taxa de desemprego entre os jovens (dos 15 anos aos 24 anos) ajustada de sazonalidade recuou em novembro para 19,4%, o que compara com 20,8% em outubro. Um ano antes esta taxa estava nos 22,8%.