Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Turismo de Portugal investe mais 10 milhões de euros em publicidade digital

Luís Araújo, presidente do Turismo de Portugal, dá prioridade 
à formação de recursos humanos

FOTO JOSÉ CARLOS CARVALHO

O instituto estatal responsável pela promoção turística portuguesa contemplou a empresa OMG com mais 10 milhões de euros para tratar da publicidade digital em 2019, um valor igual ao aprovado para 2018

Miguel Prado

Miguel Prado

Jornalista

O Turismo de Portugal, instituto público responsável pela promoção turística portuguesa, assinou esta semana um novo contrato com a empresa OMG para todas as campanhas de publicidade digital que serão feitas ao longo de 2019, no valor de 10 milhões de euros.

O contrato, que data de 6 de dezembro, foi feito por ajuste direto, no âmbito de um acordo-quadro que o Turismo de Portugal já tinha assinado a 28 de outubro de 2016 com a OMG, e que previa que fosse esta empresa a planear e coordenar toda a publicidade digital do organismo público durante um período de quatro anos.

Os 10 milhões de euros são a despesa máxima em que o Turismo de Portugal incorrerá em 2019 e incluem uma estimativa de despesa em campanhas de 9,49 milhões de euros, além de uma mensalidade fixa de 27 mil euros e uma componente variável de remuneração da OMG que depende do desempenho das campanhas e que pode chegar a 189 mil euros.

Este é o terceiro contrato consecutivo de 10 milhões de euros que o Turismo de Portugal firma com a OMG, ao abrigo do acordo-quadro de 2016.

O referido acordo-quadro foi firmado através de um concurso público no qual participaram, além da OMG, outras 13 empresas, incluindo algumas das mais conhecidas empresas no ramo da publicidade, como a Nova Expressão e a Carat.

O Turismo de Portugal é o maior cliente estatal da OMG. No portal dos concursos públicos (Base.gov.pt), além dos três contratos com esta entidade no valor global de 30 milhões de euros, a OMG regista apenas no seu histórico um contrato inferior a 75 mil euros com o Instituto Português de Apoio ao Desenvolvimento (de 2010) e um outro de 188 mil euros com a Adene - Agência para a Energia (do ano 2009).