Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

CaetanoBus suspende produção na China

A parceria com o sócio chinês e a orientação estratégica do negócio da Brilliance Caetano “estão em modo de revisão”. A CaetanoBus quer intervir na mobilidade elétrica

Cinco anos depois de instalar uma unidade de montagem de autocarros em Dalian, no nordeste da China, a CaetanoBus (grupo Salvador Caetano) suspendeu a produção.

Segundo a empresa, a parceria com o sócio local (Brilliance Auto Group) e orientação estratégica do negócio “estão em modo de revisão”. O presidente executivo da CaetanoBus, Jorge Pinto, viajou esta semana para Dalian para resolver o dossiê e mais detalhes sobre o futuro da empresa só depois do seu regresso.

A Brilliance Caetano foi reduzindo gradualmente a atividade até suspender de vez a produção. A unidade envolvera um investimento de 8 milhões de euros, repartido pelos dois sócios.

O dilema chinês surge numa altura e que a própria CaetanoBus está a rever a sua estratégica centrada na mobilidade elétrica. A aliança firmada em 2017 com o conglomerado japonês Mitsui & Co é uma das variáveis que condicionam a decisão sobre a base chinesa.

Entre os cenários que se perfilam, conta-se a possibilidade da aliança incluir um terceiro operador que conceda escala e leve a fábrica a evoluir para a mobilidade elétrica.

A CaetanoBus está agora avaliar "novas forma de cooperação" e não abdica de ter um papel ativo na mobilidade elétrica.

A China é o maior mercado de autocarros do mundo. No caso dos elétricos, os especialistas calculam que, em 2022, o país represente 20 mil unidades face a 3000 na Europa.

A oportunidade chinesa

A CaetanoBus conta com a Air China entre os seus clientes pontuais do modelo Cobus, o seu autocarro para aeroportos.

A dimensão do mercado e os custos logísticos e alfandegários levou o grupo da família Caetano a arriscar numa operação direta com três linhas de montagem, dimensionadas para 150 autocarros especiais (aeroporto, escolar e dois pisos) por ano. A unidade impulsionaria a exportação de componentes e de Kits com partes para montar, a partir de Vila Nova de Gaia, que valeria até 10 milhões de euros por ano.

Quando foi inaugurada, em novembro de 2013, a unidade contava com 100 empregados. O plano da Brilliance Caetano incorporava uma fase de expansão que duplicasse a produção, triplicando o emprego.

Com o investimento no polo de Desenvolvimento Económico e Tecnológico de Dalian, entre Pequim e a península da Coreia, a CaetanoBus visava disputar o mercado interno, sem perder de vista a exportação para mercados vizinhos, incluindo a Coreia do Norte.

A Brilliance Caetano é o primeiro projeto industrial da Salvador Caetano na Ásia. A Brilliance Auto é um dos principais atores da indústria automóvel chinesa, com parceria fabril e comercial, por exemplo, com a BMW.